Deputados citados em lista apreendida na casa do "deputado da meia" apresentam defesa

Camila Campanerut
Do UOL Notícias

Em Brasília

Pelo menos três dos deputados distritais citados em documentos apreendidos na casa do ex-presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), Leonardo Prudente (sem partido, ex-DEM), apresentaram suas defesas nesta quarta-feira (17). Os parlamentares são acusados de envolvimento no esquema de propina de servidores e prestadores de serviço do governo do DF

A Polícia Federal apreendeu documentos no dia 27 de novembro do ano passado na residência e nos gabinetes de Prudente – que ficou conhecido após ser flagrado em vídeo colocando somas de dinheiro nas meias e nos bolsos do paletó.

Em nota, o ex-secretário geral da Câmara Legislativa, Gustavo Adolfo Moreira Marques, justifica qual a destinação das quantias ligadas aos distritais Milton Barbosa (PSDB), Eurides Brito (PMDB) e Raimundo Ribeiro (PSDB) citados nos documentos de Pudrente.

No caso de Milton Barbosa, Marques afirmou em documento que a citação “Milton - + sec. execut + - 12.000”, refere-se à remuneração aproximada de R$12.751,00 do secretário executivo da terceira secretaria, Dr. André Perez Nunes.

“Com certeza essas mãos aqui nunca tocaram em dinheiro de ninguém, a não ser o meu”, se defendeu Barbosa, que disse que irá ao juiz de direito explicar seus rendimentos para deixar claro que não está envolvido no caso que ficou conhecido como mensalão do DEM.

Para “Raimundo + - 12.000”, o ex-secretário geral alegou que o número remetia ao salário de R$12.751,00 do secretário executivo da segunda secretaria, Roberto Soares da Silva.

E no caso da deputada, que ganhou destaque após a divulgação do vídeo em que aparecia colocando dinheiro na bolsa, a lista apreendida apontava “Eurides + - 14.000”, que tratavam, segundo o servidor, dos vencimentos de dois funcionários da Casa: Vera Eliza Muller, titular do cargo de assessora jurídica da Procuradoria Geral, com salário de R$ 7.422,67, e do assistente parlamentar Maurílio Macedo de Oliveira, que recebe R$ 6.680,40.

A declaração ainda indica que a deputada respeitou o número de cargos dentro de seu gabinete e apenas informou a distribuição dos mesmos ao gabinete do ex-presidente: “Cabe ressaltar que a deputada Eurides Brito, mesmo assim, permaneceu aquém do número médio de cargos destinados a cada parlamentar”.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos