Câmara Legislativa do DF marca para segunda-feira segundo turno para eleições indiretas

Camila Campanerut
Do UOL Notícias
Em Brasília

O presidente interino da Câmara Legislativa do Distrito Federal, deputado Cabo Patrício (PT), anunciou nesta segunda-feira (22) que está marcada para a próxima segunda-feira (29) a votação do segundo turno para referendar a mudança da Lei Orgânica sobre a sucessão no governo do DF. 

A afirmação foi feita após reunião com os integrantes da Mesa Diretora da Casa, na qual foram discutidos os detalhes para a regulamentação das eleições indiretas, que vão escolher quem vai governar o Distrito Federal nos próximos oito meses, em ato que deve ser realizado até o dia 17 de abril.

Ainda não foram definidas as datas para a abertura do prazo de inscrição de candidatos nem a da eleição. “Houve um inscrição na sexta-feira e a possibilidade de uma inscrição no dia de hoje, só que não foi aberto o prazo de inscrição. Então, essas inscrições não têm validade alguma. Só vai ter validade após a publicação da lei que vai regular a questão da eleição”, explicou Patrício.

Também não ficou acertado se os dez deputados distritais (oito titulares e dois suplentes), citados no inquérito nº 650 – que investiga as denúncias de corrupção e pagamento de propinas a servidores e prestadores de serviços do DF – participarão da eleição do novo governador do DF.


Na última sexta-feira, um grupo de parlamentares fez uma visita ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF) para tirar dúvidas e seguir as orientações legais sobre o processo. Logo depois, o corretor de imóveis filiado ao PTB Darlan Rodrigues, 34, apresentou para a legenda dele e para a Câmara Legislativa a sua inscrição para ser votado pelos distritais da Casa para ocupar o lugar que pertencia a José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM).

Quem é Darlan Rodrigues
O goiano Darlan Rodrigues é primo do deputado federal, Ronaldo Caiado (DEM-GO). Ele já foi filiado do PT, do PFL (atual DEM) e há cerca de um ano está no PTB. Apesar de nunca ter sido candidato, afirma que a articulação dele em Brasília é grande e que pretende ser o “cidadão no poder”.

A principal bandeira dele é fazer das licitações processos mais limpos e transparentes e cuidar dos hospitais da região. No entanto, desconhece que, para se inscrever, precisaria ter o nome de um vice na sua chapa.

“Assim que eu for governador, se eu vir que eu tenho condições de resolver isso aí [a corrupção política], eu vou em frente até o último dia, quem sabe...”, disse Rodrigues ao tratar da hipótese de concorrer para o próximo mandato (2011 – 2014) nas eleições de outubro deste ano.

Cabo Patrício esclareceu que as inscrições de candidatos devem ter apoio dos 27 partidos políticos que atuam na região, e devem constar também o nome para o cargo do vice-governador, que também ficou vago após a renúncia de Paulo Octávio (sem partido, ex-DEM).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos