Com Lula, Dilma busca votos em congresso de metalúrgicas

Maurício Savarese
Do UOL Notícias
Em São Bernardo do Campo (SP)

A pré-candidata do PT à Presidência da República e ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, visitou nesta quinta-feira (25) o berço político de seu mentor, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em São Bernardo do Campo (SP), para a abertura do 2º Congresso de Metalúrgicas, no sindicato do ABC.

A ministra usou um tom mais descontraído e se esforçou para aplicar uma visão feminina aos benefícios gerados por programas sociais gerados pelo governo do petista. O primeiro congresso de metalúrgicas foi realizado em 1978, quando o atual presidente da República comandava o sindicato em São Bernardo do Campo (SP).

Em clima de comício eleitoral, a ministra vestiu uma camiseta do encontro, abraçou potenciais eleitores e recebeu um quadro de acrílico, com uma foto sua na frente de uma multidão. “Fiquei muito emocionada com essa homenagem. Eu sei que tenho um povo por trás de mim me sustentando”, afirmou. “A foto é da época que eu usava peruca. Agora vocês podem ver que é cabelo. Mas a foto está muito bonitinha”, disse ela em referência ao tratamento de quimioterapia que fez para se curar de um câncer.

A ministra afirmou que o sindicato do ABC “é o palco onde começou o verdadeiro processo de democratização do nosso país”. “Aquele movimento grevista de 78 sofreu com vários desafios, derrotas. No fim, ele é responsável pelo primeiro presidente metalúrgico”, destacou.

"Se eu for multado, trago a conta para vocês", diz Lula em discurso

Dilma citou avanços para as mulheres promovidos no governo Lula, como a Lei Maria da Penha, Bolsa-Família e o programa Luz para Todos. “Mesmo num programa de energia temos avanços para as mulheres. Antes, em algumas regiões do Brasil, elas precisavam carregar lata d’água na cabeça. Hoje elas conseguem isso com uma bomba, não tem que ficar carregando por aí”.

De acordo com a pesquisa CNI/Ibope divulgada neste mês, Dilma reduziu a desvantagem em relação ao provável candidato oposicionista, o governador de São Paulo, José Serra (PSDB): a petista tem 30% e o tucano lidera com 35%. Mas levando-se em conta apenas o voto feminino José Serra tem 37% dos votos das mulheres, e Dilma, 25%.

Em seu discurso, Lula ressaltou o papel das mulheres, que compõem 52% da população brasileira. “Nos anos 70 mulher era tratada como objeto de cama e mesa, era essa a lógica da sociedade. Hoje vocês não são mais vistas como peça auxiliar. Hoje mais da metade das mulheres são chefes de família”, afirmou.

O presidente ainda criticou seus sucessores no sindicato por não terem organizado um novo congresso das metalúrgicas. Há 32 anos, de acordo com representantes da entidade, apenas 300 mulheres participaram por medo de demissão e da repressão do regime militar (1964-1985).
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos