Presidente do Banco Central afirma que decide futuro político "em 24 horas"

Camila Campanerut*
Do UOL Notícias

Em Brasília

  • Danilo Verpa/Folha Imagem

    Meirelles disse que pediu a Lula mais 24 horas para decidir se sai ou não de seu cargo para concorrer às eleições de outubro

    Meirelles disse que pediu a Lula mais 24 horas para decidir se sai ou não de seu cargo para concorrer às eleições de outubro

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, reuniu-se na tarde desta terça-feira (30) com o presidente da República, na sede provisória do Planalto, em Brasília, e disse que pediu a Lula mais 24 horas para decidir se sai ou não de seu cargo para concorrer às eleições de outubro.

“Se depender dele [Lula], eu fico. Eu pedi 24 horas para pensar. Portanto amanhã darei a resposta final.” Meirelles acredita que a demora em responder sobre sua permanência no cargo não irá afetar o mercado. “O mercado está aguardando essa decisão. Um dia não fará diferença”, afirmou aos jornalistas ao deixar o local. 

Filiado desde o ano passado ao PMDB, Meirelles chegou a ser cotado pelo próprio presidente Lula e por petistas para ocupar a vice na chapa presidencial de Dilma, que também deixa o governo nesta quarta-feira. 

A indicação de Meirelles para a chapa não agrada o PMDB, que defende o nome do presidente da Câmara, Michel Temer (SP). Meirelles pode ainda disputar uma vaga ao Senado por Goiás. 

Na noite da última sexta-feira, Meirelles tratou de seu futuro político com Lula, mas a conversa não foi conclusiva, segundo afirmou uma fonte do alto escalão do governo à agência Reuters. No encontro, ocorrido em São Paulo, o presidente Lula reiterou a preferência pela permanência de Meirelles à frente do BC até o fim de seu mandato, mas não fez apelo nenhum.

Segundo o interlocutor de Lula, que pediu anonimato, o presidente do BC teria se mostrado ainda indeciso em relação a seus próximos passos.

Questionado no início da noite desta segunda-feira por jornalistas se Meirelles deixaria o BC, Lula disse que "esta é uma pergunta que só ele pode responder".

A legislação eleitoral estabelece o dia 3 de abril como data-limite para que os candidatos das próximas eleições deixem os cargos no Poder Executivo federal, estadual ou municipal.

Substituto
O presidente Lula já definiu as diretrizes para estabelecer a esperada sucessão do presidente do Banco Central, afirmou na última quinta-feira um ministro de Estado à Reuters. Segundo a fonte, que pediu anonimato, esses critérios reforçam a possibilidade de o escolhido ser o diretor de Normas e Organização do Sistema Financeiro do BC, Alexandre Tombini.

O primeiro critério determinado por Lula é dar um recado ao mercado de que o governo não mudará a atual política econômica.

Tombini, já cotado pelo mercado para o cargo, teria o respaldo de Meirelles. A Fazenda também não se opõe a seu nome. Até agora, pelo menos, é baixa a possibilidade desse sucessor ser alguém de fora do BC.

*Com informações da Reuters

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos