Líder do governo na Câmara afirma que reajuste de aposentados custará R$ 5 bi

Da Agência Câmara

Em Brasília

Atualizada às 18h36

O líder do governo na Câmara e relator da medida provisória que prevê reajuste para as aposentadorias de valor acima de um salário mínimo, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), anunciou nesta terça-feira (13) que vai aumentar de 6,14% para 7% o percentual de correção previsto em seu relatório.

Governo rejeita aumento acima de 7% para aposentados


Segundo ele, esse aumento foi autorizado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O reajuste, ressaltou, será retroativo ao dia 1º de janeiro.

Vaccarezza disse que a diferença entre a variação da inflação (3,45% entre fevereiro e dezembro do ano passado) e a correção de 7% das aposentadorias vai custar R$ 5 bilhões ao governo. O valor terá de ser transferido do Tesouro para a Previdência Social.

Segundo o deputado, não há pressa para votar a proposta, que expira em junho. “Mas quem demora a votar a MP está prejudicando os aposentados”, disse. Após reunião com os demais líderes da Câmara, Vaccarezza afirmou que, por falta de acordo, a medida não será votada em plenário nesta semana.

Na semana passada, no Senado, governistas e representantes dos aposentados teriam negociado um índice de 7,7%. O acordo, negado por Vaccarezza, teria deixado os líderes preocupados com a possibilidade de a Câmara “não aparecer bem” caso aprove um índice menor.

“O povo sabe separar o joio do trigo. Aproveitar um momento deste para fazer demagogia não é correto”, disse o deputado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos