Deixar potencial hidrelétrico para apostar em termelétrico seria insano, diz Lula sobre Belo Monte

Paula Laboissière
Da Agência Brasil
Em Brasília

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva rebateu hoje (26) críticas sobre a construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte. Ele destacou que o potencial hídrico do país gira em torno de 260 mil megawatts e que seria “insano” substituir tal produção por termelétricas a óleo diesel, por exemplo.

No programa semanal Café com o Presidente, Lula lembrou que o projeto de Belo Monte vem sendo debatido há 30 anos e pediu a compreensão da sociedade brasileira sobre o assunto. Ele ressaltou que a usina vai trabalhar com o valor de R$ 78 para cada megawatt/hora, enquanto uma usina eólica gasta R$ 150 e uma usina a gás, R$ 200.

“A energia hídrica ainda é a mais barata. O que precisamos é trabalhar com muito cuidado para fazer as hidrelétricas da forma mais cuidadosa possível, causar o menor impacto ambiental possível. Depois de 30 anos, finalmente, Belo Monte vai sair”, disse.

Segundo Lula, a área ocupada pela usina será 60% menor do que inicialmente previsto e 16 mil pessoas devem ser deslocadas da região.

“Obviamente que sempre vai ter aqueles que não querem que a gente faça para poderem encontrar um culpado”, disse o presidente, ao se referir ao que chamou de “indústria do apagão”. “São pessoas que não querem que a gente construa a energia necessária porque querem que tenha um apagão.”

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos