Secretário do Ministério do Planejamento nega que plano de banda larga seja "estatizante"

Da Agência Câmara

O secretário de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, Rogério Santanna, afirmou que o plano nacional de banda larga a ser publicado pelo governo nos próximos dias não será “estatizante”.

Segundo ele, a presença do Estado deve favorecer a inclusão digital no País: “o objetivo do plano é prestar o serviço de internet onde as empresas privadas não atuam ou onde não há concorrência”. Santanna afirmou que outros países já adotam o modelo misto de internet, com a complementação da prestação de serviços entre o Estado e a iniciativa privada.

Rogério Santanna participou de audiência pública sobre a reativação da Telebrás na Comissão de Defesa do Consumidor.

Gestão do plano de banda larga
O secretário defendeu também a utilização da Telebrás como gestora do plano nacional de banda larga. Para ele, este “é o caminho mais fácil e rápido” para universalizar esse serviço no País. Ele antecipou que a intenção do governo é atender a 100 municípios ainda neste ano, logo após a publicação do plano.

Internet na zona rural
Os deputados Celso Russomanno (PP-SP) e Ana Arraes (PSB-PE) elogiaram a iniciativa do governo de levar a banda larga para todo o País. Ana Arraes também cobrou do secretário a execução de uma política para o fornecimento desse serviço na zona rural.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos