Dificilmente Senado vai alterar texto da MP que beneficia aposentados, diz Sarney

Marcos Chagas
Da Agência Brasil
Em Brasília

Por conta do ano eleitoral, dificilmente os senadores farão qualquer mudança na medida provisória aprovada ontem (4) pela Câmara dos Deputados, que concede 7,72% de reajuste a aposentados e pensionistas da Previdência Social. O texto acabou também com o fator previdenciário. A avaliação é do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). A palavra final sobre os dois assuntos, então, caberia ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“Eu não conheço os números do orçamento do governo, mas acho que politicamente é muito difícil que haja qualquer modificação aqui no Senado até mesmo porque há, aqui, uma grande simpatia com os aposentados”, afirmou Sarney.

O presidente do Senado defendeu pessoalmente a manutenção do percentual de reajuste definido pela Câmara. Ele argumentou que com o aumento nos preços, especialmente no dos medicamentos, sempre que se puder conceder um reajuste aos aposentados será justificado. “Eu recordo sempre minha mãe que dizia: olha, não deixa de ajudar os velhinhos. Estou falando em causa própria”, disse o presidente.

Sobre o fim do fator previdenciário, Sarney adotou uma postura mais cautelosa. Para ele, esta é uma questão controversa e divide as opiniões no Senado. Até entre parlamentares da oposição existe a convicção de que a extinção do fator previdenciário vai fragilizar ainda mais a situação de caixa da Previdência Social.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos