Líder do governo diz que caberá a Lula decisão sobre reajuste de aposentados

Marcos Chagas
Da Agência Brasil

Em Brasília

O veto ou a manutenção do aumento de 7,72% para os aposentados e pensionistas da Previdência Social e o fim do fator previdenciário aprovados ontem (4) pela Câmara deve ser decidido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A afirmação foi feita hoje (5) pela líder do Congresso Nacional, Ideli Salvatti (PT-SC), à Agência Brasil, apesar de o texto ainda depender de apreciação do Senado.

A líder considera delicada a situação dos senadores de fazer qualquer alteração na matéria. Ideli Salvatti lembrou que, há três anos, o Senado aprovou o projeto de lei do petista Paulo Paim (PT-RS) que extinguia o fator previdenciário. Ontem, por emenda, esse tema foi incluído na MP e aprovado pelos deputados.

“A situação é delicada para o Senado porque a Casa já aprovou o projeto do Paim. Isso torna ainda mais complicada qualquer mudança”, avaliou a senadora. Ela não descarta, no entanto, que senadores apresentem emendas com percentuais ainda maiores de reajuste. Se isso ocorrer e a emenda for aprovada pela Casa, a medida provisória retornaria à Câmara.

A cautela que outros senadores da base governista adotaram quando perguntados sobre o fim do fator previdenciário dão uma dimensão de como será complicado para o Senado realizar qualquer alteração na MP, em ano eleitoral. Renato Casagrande (PSB-ES), pré-candidato ao governo do Espírito Santo, por exemplo, disse que vai conversar com os senadores e com autoridades do Executivo antes de tomar qualquer posição.

Nas conversas, o senador pretende se inteirar sobre as consequências do fim do fator previdenciário e analisar com os senadores se há “outra alternativa” para a questão. “Vamos com cautela com isso”, resumiu. Já o vice-líder do governo e líder do PTB no Senado, Gim Argello (DF), também pré-candidato ao governo da capital federal, evitou qualquer manifestação sobre o assunto. “Não vou falar sobre isso. Vou antes debater com os colegas.”

Já o líder do Democratas (DEM), José Agripino Maia (RN), vai manter a postura de sua bancada de extinguir o fator previdenciário. “Há três anos nós votamos a favor do projeto de lei do senador Paim (PT-RS) e agora vamos voltar atrás? Temos que manter a coerência.”

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos