Justiça nega recurso e mantém deputada da bolsa afastada do cargo

Camila Campanerut
Do UOL Notícias

Em Brasília

Deputada diz que não estar envolvida com o mensalão; vídeo mostra flagrante

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios negou nesta quinta-feira (20) o pedido da deputada distrital Eurides Brito (PMDB) contrário à decisão do juiz da 2ª vara de Fazenda Pública do Distrito Federal, Álvaro Ciarlini. O magistrado decidiu manter Brito afastada do cargo enquanto as investigações sobre quebra de decoro da parlamentar estiverem em andamento. O recurso ainda será avaliado pelo colegiado do TJ.

Brito ficou conhecida após ter sido flagrada em vídeo colocando R$ 30 mil em sua bolsa. Ela é uma das investigadas no caso do mensalão do DEM, suposto esquema de corrupção e pagamento de propina para servidores e prestadores de serviços do governo do Distrito Federal.

“A simples presença da agravante nas dependências da Casa Legislativa local, além de causar um constrangimento para os demais parlamentares da Comissão de Ética, que apuram as denúncias surgidas com a operação denominada ‘Caixa de Pandora’, pode vir a comprometer os trabalhos ali desenvolvidos, na medida em que é inconteste a influência da parlamentar junto aos seus pares", diz nota do tribunal.

Com a saída de Brito, o suplente Roberto Lucena (PR) tomou posse na última quarta-feira (18). A previsão é de que, pelo menos até o fim do mês, Lucena mantenha os servidores de gabinete vinculados a Eurides Brito.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos