Líder do governo diz que discussão sobre aposentadoria fica para depois das eleições

Priscilla Mazenotti

Da Agência Brasil<br>Em Brasília

O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), considerou “lastimável” a aprovação pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa do projeto que recupera o número de salários mínimos que o aposentado tinha quando obteve o benefício. A proposta foi aprovada ontem (16) na Câmara, mas ainda depende de parecer da Comissão de Finanças e Tributação.

“Não é sustentável um país pagar R$ 80 milhões por uma conta desse tipo. Vamos segurar [a discussão] para depois das eleições”, disse.

Outra proposta também deverá ficar para depois de outubro: a que trata do fator previdenciário. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva vetou o fim do fator previdenciário e o governo está disposto a encontrar uma alternativa de consenso para a proposta, diante das ameaças da oposição de derrubar o veto.

“Existe interesse do governo em substituir o fator previdenciário, para não estimular as aposentadorias precoces”, comentou. Entre as propostas que poderão entrar em discussão está a do deputado Pepe Vargas (PT-RS), que defende o chamado 85/95: o fator previdenciário fica extinto quando a soma da idade e do tempo de contribuição for 85 para a mulher e 95 para o homem.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos