Gurgel diz que vai continuar combatendo a corrupção no Distrito Federal

Débora Zampier
Da Agência Brasil

Em Brasília

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, disse hoje (30), após o Supremo Tribunal Federal (STF) negar o pedido de intervenção no Distrito Federal (DF), que o Ministério Público irá se concentrar em outras ferramentas para combater a corrupção que ainda existe na capital federal. “Iremos atuar no campo penal e no de improbidade administrativa para responsabilizar de forma mais ampla possível os envolvidos.”

Para Gurgel, a derrota de hoje não significa um enfraquecimento no combate à corrupção e que o Supremo não decidiu de forma política. “Foi uma decisão técnica”, limitou-se a dizer. “Continuamos a ter na estrutura do DF um esquema de corrupção montado que é preciso desarticular e o Ministério Público trabalhará para fazê-lo”, afirmou, referindo-se a um “verdadeiro saque aos cofres públicos”.

Perguntado sobre o motivo da demora no ingresso das ações penais resultantes da operação Caixa de Pandora – argumento usado por Marco Aurélio de Mello para negar a intervenção – Gurgel disse que isso se deve à grande quantidade de material apreendido nas operações da Polícia Federal e que ainda passam por perícia.

Gurgel ainda afirmou que o Legislativo e o Executivo local não teriam tomado providências com o objetivo de normalizar a situação política na capital federal se o Ministério Público não tivesse pedido a intervenção. “Nossa ação despertou as autoridades da letargia em que se encontravam”.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos