CCJ do Senado convida ex-presidente da Previ para dar explicações sobre "fábrica de dossiês"

Camila Campanerut
Do UOL Notícias
Em Brasília

 

A CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado decidiu nesta quarta-feira (11) convidar o ex-presidente do fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil (Previ), Sergio Rosa, e o ex-gerente do fundo, Gerardo Santiago, para prestar depoimentos sobre o suposto esquema de espionagem coordenado por Rosa contra opositores do governo federal. A audiência foi marcada para o dia 31 de agosto.

A autoria do requerimento é da senadora Kátia Abreu (DEM-TO), que se baseou na denúncia feita pela revista "Veja" desta semana. A reportagem afirma que Santiago chama a Previ de “fábrica de dossiês”. “A Previ tornou-se braço direito de um grupo do PT. Quando esperávamos uma chamada dura de atenção, eles são reconhecidos como meninos aloprados, desajuizados, como se fossem adolescentes pichando muros”, disse a senadora.

O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) rebateu as críticas da democrata dizendo que o candidato da oposição à Presidência, José Serra (PSDB), fou beneficiado com um suposto dossiê que prejudicou a campanha de Roseana Sarney (ex-PFL), em 2002, por acusação de dinheiro de fonte não identificada. Kátia Abreu alegou que a situação foi criada pelo Ministério Público regional e não houve criação de dossiê.

Receita Federal
A comissão também aprovou o requerimento para que o corregedor-geral da Receita Federal, Antonio Carlo D’Avilla explique a quebra de sigilo fiscal do vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge, no dia 31 de agosto.

A funcionária da Receita Federal Antônia Aparecida Rodrigues Santos era esperada na comissão nesta terça-feira (10) e não compareceu. Em carta, ela justificou que não poderia oferecer informações por estar “muito fragilizada emocionalmente” pela exposição que teve o nome dela e sua família, incluindo seus filhos menores de idade. “Reafirmo que nunca tive filiação partidária e também reafirmo categoricamente que minha senha foi usada indevidamente [para obter informações de Eduardo Jorge]”, disse no documento.

Caso Lina Viera X Dilma Rousseff
Um caso que estava meio esquecido continua na pauta da CCJ, puxado pelos ânimos eleitorais da oposição e da situação. O ex-funcionário do Palácio do Planalto, Demetrius Felinto, alega ter imagens do suposto encontro entre a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Roussef, e a ex-secretária da Receita Federal, Lina Maria Vieira, no fim de 2008 no Palácio do Planalto.

Na ocasião, a atual candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, era ministra-chefe da Casa Civil e teria pedido que Lina Vieira agilizasse as investigação fiscais sobre as empresas do filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). A petista nega a versão de ex-secretária.

Já Demetrius Felinto, que não compareceu à sessão de hoje da comissão, alegou que tinha compromisso nesta quarta-feira, e não conseguiu reagendar. Com isso, os senadores fizeram um novo convite para ele, desta vez, para o dia 31 de agosto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos