Lula volta a despachar no Palácio do Planalto nesta quarta

Camila Campanerut
Do UOL Notícias
Em Brasília

Depois de mais de um ano de reformas e sucessivas promessas de entrega, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva finalmente volta a despachar do Palácio do Planalto, sede oficial do governo, nesta quarta-feira (25). A primeira previsão de entrega da obra, orçada em R$103 milhões, era no aniversário de Brasília, em 21 de abril. Mas o orçamento final ficou R$ 8 milhões acima do previsto, chegando a R$ 111 milhões.

Enquanto o presidente cumpre agenda oficial em Mato Grosso do Sul hoje, os últimos servidores saem da sede provisória do governo no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB). A mudança dos últimos funcionários começou na semana passada. 

No gabinete do presidente, serão mantidos os mesmos móveis utilizados no CCBB, por opção do próprio Lula. 

O Palácio do Planalto volta a abrigar os gabinetes do ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, da ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra, do ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Jorge Félix, do ministro da Comunicação Social, Franklin Martins, e do ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Luiz Dulci. 

Mudanças
Dentre as mudanças do prédio após a reforma estão o aumento do estacionamento e a construção de um pavimento subterrâneo extra.

O andar do gabinete do presidente recebeu vidros blindados na sala de audiência, onde são recebidas autoridades estrangeiras.

Em relação aos móveis do local, foram doadas cerca de 400 peças do Senado, 200 da Câmara dos Deputados e outras cerca de 70 do Tribunal de Contas da União. Foram também compradas 1.200 peças do designer Sérgio Rodrigues, encomendadas a uma fábrica do Paraná, e outras cerca de 70 desenhadas pelo arquiteto Oscar Niemeyer, projetista do edifício.

De acordo com o secretário-executivo da comissão de curadoria, Cláudio Soares Rocha, o projeto original do escritório de Niemeyer previa peças em fórmica e material importado, mas a equipe optou por mobiliário "100% brasileiro". Os móveis antigos, de designers italianos e alemães, foram levados para um depósito e serão encaminhados, conforme a necessidade, para ministérios e outros órgãos públicos.

O andar que sofreu mais modificações com a reforma foi o quarto, que teve os corredores alargados a pedido do Corpo de Bombeiros. Em todos os andares o carpete foi trocado pelo mármore.

Já a galeria de fotos dos ex-presidentes foi transferida do terceiro andar para o térreo, mas ainda está em reforma.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos