Topo

Líder petista entra no clima de "bateu, levou" e ameaça revidar pressão do PMDB

Fábio Brandt

Do UOL Notícias<br>Em Brasília

04/01/2011 20h05

O atual líder do PT na Câmara dos Deputados, Fernando Ferro (PE), disse nesta terça-feira (4) ao UOL Notícias que o PMDB pode receber revide pela eventual instabilidade causada ao governo da presidente Dilma Rousseff. Segundo ele, os aliados têm responsabilidades, como o revezamento na presidência da Câmara – que começa em 2011, com um presidente petista.

“O PMDB tem responsabilidade no governo e pretende disputar a Câmara daqui a dois anos. Se criar crise agora, daqui a dois anos nós estamos com a responsabilidade”, declarou. “[O PMDB] já fez ameaça com bloquinho e outras coisas. Acho que tem que conversar”, disse Ferro.

Contrariado pela perda de cargos de segundo escalão no governo, o PMDB pede que esses postos sejam distribuídos mediante “diálogo” com partidos governistas. Hoje pela manhã, líderes do partido se reuniram em Brasília para discutir a questão.

Apesar do clima de "bateu, levou", o deputado Ferro avalia como normal a pressão por cargos no início de um governo. Para ele, nem um possível movimento do PMDB contra a proposta do governo de salário mínimo de R$ 540 em 2011 é indicativo de crise. A ameaça de contrariar a proposta orçamentária foi sinalizada na manhã de hoje por Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), um dos principais porta-vozes do partido na Câmara.

“Não vejo problema em discutir mínimo. Acho que é nossa função. Se der para aumentar, vamos aumentar. O ideal seria pagar um mínimo de R$ 2 mil”, afirmou Ferro.

Mais Política