Topo

Tucanos se reúnem nesta terça-feira em busca de consenso para cargos na Câmara

Fábio Brandt<BR>Do UOL Notícias<BR>Em Brasília

11/01/2011 07h05

Diminuídos na última eleição e sem participar da disputa por cargos no governo federal, deputados da oposição adotam o discurso de evitar rachas entre si. No PSDB, os dois candidatos a líder na Câmara almoçam juntos nesta terça-feira (11), no Rio, para tentar acordo e evitar eleições internas.

Mesmo assim, o clima é de disputa. Tucanos que acompanham a nova composição do partido na Casa apontam o deputado Duarte Nogueira (PSDB-SP) como favorito para líder. Mas o concorrente Otávio Leite (PSDB-RJ) afirma que seu nome “está posto” e diz que, nesta terça, terá um diálogo mais sobre “organização da bancada” do que sobre a definição do líder.

Se não houver acordo hoje, a questão será levada para reunião da bancada tucana, marcada para o próximo dia 26, em Brasília.

O DEM, por sua vez, deve escolher seu líder em reunião marcada para o dia 31 de janeiro, também em Brasília. São, pelo menos, três candidatos: Marcos Montes (MG), Mendonça Prado (SE) e Onofre Agostini (SC). Parte do partido também apoia ACM Neto (BA) para o posto, mas o deputado ainda não se decidiu sobre a candidatura. Procurado pelo UOL Notícias, ele disse que “precisa analisar o que é melhor para a unidade da bancada”.

Na Câmara, os principais postos da oposição devem ficar com o PSDB. Para liderança da minoria está cotado Paulo Abi-ackel (PSDB-MG), indicação da bancada mineira. Depois, por ser a terceira maior bancada em número de deputados, o partido vai indicar o primeiro vice-presidente ou o primeiro secretário da Mesa (dependendo do que o PMDB, segunda maior bancada, escolher antes). Está cotado para receber essa indicação Eduardo Gomes (PSDB-TO).

Presidência da Câmara

PSDB e DEM declararam apoio a Marco Maia (PT-RS) no último dia 22. Na segunda-feira (10), os dois candidatos a líder do PSDB reafirmaram o apoio.

“Na visão do PSDB, por questão de proporcionalidade, cabe ao PT [que elegeu o maior número de deputados] a indicação do presidente. Até porque isso fortalece a aspiração do PSDB de ser respeitado como a terceira maior bancada”, disse Duarte Nogueira. Para Otávio Leite, a defesa da proporcionalidade, “é o correto”.

No DEM, há insatisfação em relação ao modo como o partido declarou seu apoio. Alguns deputados dizem que o atual líder, Paulo Bornhausen (DEM-SC), não consultou a bancada para manifestar o apoio. No entanto, o bom relacionamento de Marco Maia com os integrantes da legenda e a ausência de outros candidatos (até agora, apenas o petista tem candidatura confirmada) fizeram com que o apoio fosse mantido.

Mais Política