PUBLICIDADE
Topo

Mais dez partidos oficializam apoio à candidatura de Marco Maia na Câmara

Daniella Jinkings<br>Da Agência Brasil

Em Brasília

26/01/2011 21h18

A candidatura do presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), à reeleição ganhou força hoje (26) com o apoio de mais dez partidos. Além do PTB, do PMN e do PV, os chamados partidos nanicos (PRB, PSL, PHS, PTdoB, PPC, PTC, PRP) formalizaram a aliança. Com isso, Maia tem o apoio de 21 dos 22 partidos que estarão representados na nova legislatura. Falta apenas o PSOL.

Na tarde desta quarta-feira (26), Marco Maia participou rapidamente da reunião da bancada do PV e reuniu-se com representantes dos partidos menores para oficializar o apoio à sua candidatura. “Isso representa uma unidade jamais vista na nossa Câmara e reflete a aceitação da ideia de construção de uma pauta positiva para o Brasil”, disse Maia.

Ele afirmou que ainda não se sente eleito, mas acredita que está “acumulando forças” para ter um bom resultado nas eleições. “Estou compromissado, mas, ao mesmo tempo, vou trabalhar até o último dia, até o dia da eleição, como se nenhum voto tivesse.”

O presidente da Câmara anunciou alguns nomes que vão compor a Mesa Diretora, caso seja reeleito: Eduardo Gomes (PT-TO) será o 1º secretário; Inocêncio Oliveira (PR-PE), o 3º secretário; e Júlio Delgado (PSB-MG), o 4º secretário. Além disso, o deputado Eduardo da Fonte (PP-PE) ocupará a 2ª vice-presidência.

De acordo com Maia, falta o PMDB escolher o cargo. Ele informou que no dia 31 haverá uma reunião na qual o partido discutirá e escolherá seu representante na nova Mesa Diretora da Câmara.

A construção de um novo anexo, defendida pelo deputado Sandro Mabel (PR-GO), que apresentou candidatura avulsa, também foi comentada por Maia. Segundo ele, a possibilidade de expansão da Câmara foi fruto de uma iniciativa do deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), que, ao negociar a folha de pagamento dos funcionários com o Banco do Brasil, conseguiu cerca de R$ 212 milhões para construção do anexo. O dinheiro foi aplicado e hoje há cerca de R$ 270 milhões para execução da obra.

“Nós temos um primeiro projeto desse anexo e já há uma licitação pronta para ser anunciada na realização dos projetos arquitetônicos, hidráulicos e tecnológico do novo anexo. É um processo que está em andamento e é uma questão administrativa da Câmara, que será discutida no devido tempo com os parlamentares”, afirmou Maia.

Mais cedo, lideranças dos principais partidos fizeram uma reunião com Arlindo Chinaglia, para definir a divisão de cargos na mesa diretora e nas comissões. De acordo com Chinaglia, o objetivo era “traçar uma estratégia de guerra e um cenário de blocos”, além de produzir um acordo político entre partidos que apoiam a candidatura de Marco Maia.

Política