Topo

Reeleito presidente do Senado, Sarney diz que esta administração será a última

Fábio Brandt<br>Do UOL Notícias<br>Em Brasília

01/02/2011 13h30

O senador José Sarney (PMDB-AP) foi reeleito presidente do Senado com 70 votos nesta terça-feira (1º), após a cerimônia de posse da nova legislatura.

Pela manhã, ao chegar ao Congresso Nacional, Sarney anunciou que sua prioridade, caso viesse a ser reeleito, seria a realização de uma reforma política. Com base em sua experiência, ele alertou para a necessidade de se promovê-la logo no início da nova legislatura. O senador anunciou, ainda, a intenção de concluir a reforma administrativa da Casa, iniciada em 2009. Ele prometeu empenhar-se para fazer desta a sua melhor administração do Senado.

"Vou me esforçar para fazer a melhor administração que já fiz, até porque será a última", afirmou Sarney.

Opinião: "Se Brasil fosse país sério, Sarney não estaria no Senado", diz historiador

Houve dois votos brancos e um nulo. O adversário de Sarney, Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), de 38 anos de idade, teve 8 votos, atingindo 10% da Casa (composta por 81 senadores).

Sarney exercerá o seu quarto mandato à frente da Casa. A eleição, presidida pelo senador João Vicente Claudino (PTB-PI), ocorreu cerca de uma hora após a cerimônia de posse dos novos senadores eleitos em 2010.

O nome de Sarney foi apresentado, durante a segunda reunião preparatória, pelo líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL). O presidente reeleito preferiu não fazer uso da palavra para defender a sua plataforma perante os senadores, uma vez que, como ressaltou Renan, havia sido celebrado um grande acordo para a escolha do novo presidente. Já o candidato do PSOL apresentou propostas, como a realização de uma auditoria nas contas do Senado e mais independência em relação ao Poder Executivo.

Mais tempo que Rui Barbosa

Após proclamação do resultado, Randolfe parabenizou Sarney. Em seguida, o presidente reeleito leu um discurso no qual repassou sua trajetória no Senado. Destacou que é o parlamentar mais antigo da Casa e que tem “56 anos de mandato”, mais tempo que o próprio patrono da instituição, Rui Barbosa. E enumerou suas realizações no comando da Casa. Só no Senado, Sarney frisou que está há 35 anos (quase a idade de Randolfe, que tem 38, sendo o mais jovem senador).

Sarney, ex-presidente da República, agradeceu os votos que o levam a presidir o Senado pela quarta vez, mas disse que “não desejava o encargo”. Apesar disso, afirmou que “não poderia fugir” e que sente ter mais responsabilidade por conta da “confiança” depositada nele pelos colegas.

O presidente elencou ainda feitos que atribui a suas gestões à frente do Senado, como a implantação do portal da instituição na internet e a organização da pauta da Casa, de modo a permitir que os senadores conheçam os assuntos de discussão com antecedência.

Mas o discurso também trouxe promessas. Entre as primeiras que Sarney elencou estão ampliar o alcance da TV Senado para todos os Estados (hoje está em 10) e manter o serviço de atendimento telefônico ao público, chamado “Alô Senado”. Sarney também se propôs a incentivar o uso de redes sociais, como Twitter e Facebook como canais de comunicação com a população.

Sarney é o parlamentar mais antigo em atividade no Congresso; veja perfil

No fim do discurso, a voz de Sarney tremeu e ele pareceu se emocionar ao anunciar que este é seu mandato de despedida. “Cumprirei meu ultimo mandato”, afirmou.

 

Azarão

O anúncio da votação de Randolfe tirou aplausos dos senadores presentes no plenário. Sua candidatura foi oficializada apenas ontem (31 de janeiro), quando o único nome cogitado para o cargo ainda era o de Sarney.

Antes da votação, Randolfe pediu para apresentar sua candidatura aos colegas – algo que Sarney dispensou. O candidato do PSOL falou por 10 minutos e destacou críticas de seu partido aos desvios de conduta na Casa.

*Com informações da Agência Senado
 

Mais Política