Topo

Em Portugal, Lula diz que FMI cria mais problemas do que soluções

Juliana Iorio<br>Especial para o UOL Notícias<br>Em Lisboa

28/03/2011 21h06

Em visita a Portugal, o ex-presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, comentou a atual crise econômica do país e criticou o FMI (Fundo Monetário Internacional) em encontro com o primeiro-ministro demissionário José Sócrates e outras personalidades da política portuguesa, como o ex-presidente Mário Soares, em um restaurante na capital Lisboa, na noite desta segunda-feira (29).

Questionado pela imprensa sobre o que pensa da atual situação econômica de Portugal, Lula respondeu que “neste momento, o povo português deve ter sabedoria e maturidade para resolver a crise política e detectar o causador da crise”. Lula criticou o FMI ao afirmar que a organização não resolverá o problema de Portugal, assim como não resolveu o do Brasil. “Toda vez que o FMI tentou cuidar da dívida dos países, criou mais problemas do que soluções”, afirmou Lula. Além disso, aconselhou o povo português dizendo que, “nesse momento é preciso ter paciência, pensar e tomar as atitudes certas”.

O ex-presidente disse que o Brasil está “começando a descobrir” Portugal e que há empresas brasileiras investindo no país.

Já José Sócrates enfatizou a importância que Lula teve na presidência do Brasil, dizendo que ele ajudou a afirmar o Brasil no contexto internacional, e que a medida que isto acontece, “Portugal vai um pouco atrás”.

Amanhã Lula recebe das mãos do presidente de Portugal, Aníbal Cavaco Silva, o Prêmio Norte-Sul de 2010. A cerimónia acontece às 11h30 na Assembleia da República, em Lisboa.

Já a presidente Dilma Rousseff viaja hoje à noite para Portugal, onde fica até quarta-feira (30). Ela vai acompanhar Lula e tem reuniões com o presidente português e com o primeiro-ministro. Sócrates renunciou ao cargo no último dia 23, reagindo à decisão do Parlamento de rejeitar uma série de medidas de austeridade.

Mais Política