Topo

Para CGU, governo falha em sistemas digitais anticorrupção

Fábio Brandt<BR>Do UOL Notícias<BR>Em Brasília

05/11/2011 07h00

O ministro-chefe da CGU (Controladoria-Geral da União), Jorge Hage, avalia que o serviço estatal de desenvolvimento de sistemas digitais “não tem dado conta” da demanda dos ministérios.

Para Hage, fraudes poderiam ser evitadas se o serviço fosse mais eficiente, por exemplo, com a implantação plena do Siconv (Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse), ainda incompleto.

“O Serpro [Serviço Federal de Processamento de Dados] não tem condições de atender às demandas de todos os Ministérios da Esplanada, essa que é a verdade. Tudo atrasa”, declarou o ministro.

Hage falou sobre o assunto no programa “Poder e Política – Entrevista”, conduzido pelo jornalista Fernando Rodrigues no estúdio do Grupo Folha em Brasília. O projeto é uma parceria do UOL e da “Folha de S.Paulo”.

>>Fotos da entrevista com Jorge Hage.

Na entrevista, o ministro falou também sobre a Lei de Acesso a Informações Públicas, aprovada pelo Senado em 25 de outubro. O texto ainda deve ser sancionado pela presidente da República. Segundo Hage, Dilma Rousseff pode vetar um ponto do texto: a criação da comissão de reavaliação de dados composta por integrantes dos Três Poderes para classificar o grau de sigilo dos documentos.

Serpro
O Serviço Federal de Processamento de Dados publicou nota, após divulgação da entrevista de Jorge Hage, afirmando que está em dia com a implementação do Sincov. "Todas as implementações de módulos do Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse (Siconv) respeitam integralmente os prazos estabelecidos pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG)", diz a nota do Serpro.

Entrevista
Veja abaixo os principais trechos da entrevista de Jorge Hage em vídeo. A transcrição está disponível em texto.

Mais Política