Topo

Planalto pede desculpas por post indevido sobre José Serra

Do UOL*, em São Paulo

19/01/2012 17h00Atualizada em 19/01/2012 22h52

A Presidência da República pediu desculpas na tarde desta quinta-feira (19) pela publicação de um post no twitter oficial do link de uma matéria humorística citando o ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB).

  • Pedido de desculpas por post com piada sobre José Serra no microblog da Presidência da República

“Pedimos desculpas a todos pela publicação não autorizada, hoje, neste perfil, do retuíte indevido de um site humorístico”, diz a mensagem publicada no twitter Imprensa Presidência.

Mais cedo, o microblog exibiu uma piada postada no site de humor “Piauí Herald”, da revista "Piauí", dizendo que “Com a volta da Luiza, quem tá indo para o Canadá é o Serra...”. A piada faz referência ao bordão “Luíza está no Canadá” que dominou as redes sociais esta semana. A Luíza do texto, no entanto, era o ex-governador paulista. A piada diz que Serra decidiu ir para o Canadá depois de decidir não disputar as eleições para a Prefeitura de São Paulo.

  • Reprodução do post na página da Presidência com a piada sobre o tucano José Serra

A publicação indevida foi feita por um funcionário da Secretaria de Comunicação da Presidência. A assessoria do Planalto informou que o funcionário pediu demissão depois do episódio.

Entre os internautas, o post rendeu comentários que mesclaram humor --como o que sugeriu "demissão em 3, 2, 1..." --e até um apelo a Serra --"não permita que demitam o funcionário que apenas cumpria ordens".

O ex-governador comentou a gafe em seu microblog, "avisando" a Presidência que não viajou: "Ah, sim, queria avisar o Planalto que não fui ao Canadá, até porque a Luiza voltou".

Em fevereiro do ano passado, uma piada envolvendo o presidente do Senado Federal, José Sarney (PMDB-AP) foi publicada no microblog do Supremo Tribunal Federal (STF). A mensagem foi postada depois que o jogador Ronaldo anunciou sua aposentadoria e perguntava quando Sarney “penduraria as chuteiras”.

Assim como a equipe de imprensa da Presidência fez nesta quinta-feira (19), o STF apagou a mensagem. À época, a assessoria do tribunal disse que “por ato impensado” sua página foi usada indevidamente por funcionária terceirizada, "para tecer comentários impróprios". Acrescentou que o comentário não refletia os pensamentos da corte. A funcionária do STF foi demitida.

*Com colaboração de Fábio Brandt, de Brasília

Mais Política