Topo

Senadora acusa grupo de Cachoeira de ameaçá-la em telefonema anônimo e cita novela

Camila Campanerut

Do UOL, em Brasília

2012-08-07T10:57:40

2012-08-09T10:45:17

07/08/2012 10h57Atualizada em 09/08/2012 10h45

Antes do início do depoimento da mulher do contraventor Carlos Augusto Ramos, Andressa Mendonça, a senadora do PSD do Tocantins, Kátia Abreu, acusou  na manhã desta terça-feira (7) na CPI do Cachoeira o grupo encabeçado pelo bicheiro de ameaçá-la por meio de um telefonema anônimo ao seu gabinete no Senado e chegou a citar os vilões da novela Avenida Brasil, Max e Carminha.

Senadora diz ter recebido telefonema com ameaças

Depois da ligação telefônica recebida na semana passada, a parlamentar já entrou com uma ação na justiça de Goiás, registrou o ocorrido na Polícia Federal e pediu apoio à presidência da Comissão Parlamentar de Inquérito referente à sua proteção e a garantia de que poderá continuar atuando normalmente na CPI.

De acordo com a senadora, a ligação foi feita no último dia 2 de agosto com ameaça de que, caso ela não se retratasse do que tem falado sobre Cachoeira, eles iriam “atrás da cabeça dela”, segundo palavras da própria parlamentar. “Ela não vai me intimidar. Não devo e não temo. Estou aqui na primeira fila esperando a ‘senhora Cascata’ para ouvir o que ela tem contra mim”, disse a parlamentar.

CPI do Cachoeira
CPI do Cachoeira
$escape.getHash()uolbr_tagAlbumEmbed('tagalbum','61193', '')

Ao citar uma reportagem na qual a mulher de Cachoeira prometeu “desmoralizá-la” com a apresentação de um dossiê, Kátia Abreu frisou que não pediu a Cachoeira dinheiro para sua campanha e que a afirmação de Andressa Mendonça é uma estratégia de “desmoralizar o acusador para desmoralizar a acusação”.

A senadora disse ainda que tem uma foto com o juiz Alderico Rocha Santos, da 5ª Vara Federal, responsável pelo processo referente à Operação Monte Carlo, que resultou na prisão de Cachoeira em fevereiro deste ano. O mesmo juiz que foi chantageado por Andressa e que motivou a detenção dela.  “Prefiro ter uma foto com um juiz do que com um contraventor”, completou a senadora.

“Se a bela resolver ser fera, ela terá que tomar muito cuidado, porque pode ser enjaulada”, afirmou a senadora em referência à mulher de Cachoeira ao lembrar do poder de polícia que a CPI tem, que pode prender alguma testemunha que cometer algum crime como calúnia durante uma reunião. Andressa ficou calada e acabou dispensada da comissão.


Apesar do tom duro de sua fala, a senadora chegou a fazer graças ao atacar a testemunha que nem estava dentro da sala de reunião. Primeiro, disse que a Andressa e o marido formariam a dupla “Cachoeira e Cascata” e por “vingança”, por ela ter chamado Cachoeira de “bandido” e “múmia”, quando esteve em audiência da CPI.

“Em vez de musa da CPI, ela [Andressa Mendonça] passa a fazer parte de uma nova dupla 'Cachoeira e Cascata' por ela ser uma mentirosa, caluniadora de pessoas de bem”, afirmou a senadora.

E, depois, Kátia Abreu ainda citou dois personagens da novela “Avenida Brasil”, da Rede Globo, para explicar sua situação. “Carminha e Max só na TV. Não vão jogar meu nome no lixão não, porque eu não sou uma criança indefesa, sou uma mulher forte”, afirmou. Os dois personagens citados pela senadora são o casal de vilões do enredo.

Mais Política