PUBLICIDADE
Topo

Política

Em momento inédito, Barbosa se desculpa com Lewandowski, que vê "gesto de grandeza" do colega

Ministros do STF Joaquim Barbosa e Ricardo Lewandowski em sessão do STF no último dia 9 - Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr
Ministros do STF Joaquim Barbosa e Ricardo Lewandowski em sessão do STF no último dia 9 Imagem: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr

Do UOL, em Brasília

24/10/2012 18h03Atualizada em 24/10/2012 19h21

O ministro-relator no julgamento do mensalão, Joaquim Barbosa, pediu desculpas ao revisor, Ricardo Lewandowski, após ter feito duras críticas contra o colega na sessão desta quarta-feira (24) no STF (Supremo Tribunal Federal). É a primeira vez que Barbosa pede desculpas ao colega, com o qual bateu-boca em vários momentos durante o julgamento do mensalão.

“Gostaria de externar minha preocupação quanto ao ritmo desta nossa dosimetria e dizer que estou muito preocupado e isso tem me levado a me exceder, como fiz há pouco ao rebater de maneira exacerbada o colega ministro Lewandowski, a quem peço desculpas pelo excesso”, afirmou Barbosa.

Ao tomar a palavra, o revisor aceitou as desculpas e agradeceu o colega.

"Inicialmente, eu queria assinalar o gesto de grandeza do eminente ministro-relator, Joaquim Barbosa ao me pedir desculpas", disse. "Quero dizer que as aceito prontamente. E asseguro a todos que as nossas divergências não desbordam do plano estritamente jurídico", acrescentou Lewandowski.

Nova briga

O pedido de desculpas do relator foi feito após o intervalo do julgamento. Mais cedo, Barbosa mais uma vez se desentendeu com Lewandowski e foi repreendido por outros ministros.

A discussão ocorreu durante a votação para definir o tamanho do pena do publicitário Marcos Valério. "A minha lógica não é de vossa excelência", disse Barbosa a Lewandowski, que respondeu: "a minha a lógica é a da Constituição."

Em seguida, Barbosa afirmou: "não barateio o crime de corrupção". O ministro Marco Aurélio interveio e disse ao relator que "num colegiado o dissenso é salutar."

"Não é salutar. A tática do ministro Lewandowski é plantar nesse momento o que ele vai colher daqui a pouco", disse o relator.

Pouco depois, Barbosa voltou a se irritar, quando Lewandowski disse que ele estaria "sofismando", após o relator dizer que a pena para Valério era muito branda. "Vossa excelencia [Lewandowski] é que advoga para ele", questionou Barbosa.

"Relator, aqui todo mundo é juiz, ninguém advoga a ninguém", interveio o presidente da Corte, Ayres Britto.

Entenda o dia a dia do julgamento

Política