PUBLICIDADE
Topo

Prestação de contas da Comissão da Verdade trará 'surpresa', diz coordenador

Fernanda Calgaro

Do UOL, em Brasília

13/05/2013 17h59

 

O coordenador da Comissão Nacional da Verdade, Paulo Sérgio Pinheiro, disse nesta segunda-feira (13) que, embora seja mais uma prestação de contas, o relatório parcial do grupo trará “uma surpresa”.
 
Ele não quis adiantar o teor da “surpresa” e afirmou que prefere esperar a divulgação do documento, marcada para o próximo dia 21.
 
“Vai haver uma boa surpresa, mas não vou dizer qual vai ser”, disse, sobre o balanço do primeiro ano de existência da comissão.
 
O relatório final do colegiado, que, segundo ele, será “contundente”, deve ser entregue em maio do ano que vem. A possibilidade de uma eventual prorrogação desse prazo, disse, seria bem-vinda. Ele comentou que soube pela imprensa que a presidente Dilma Rousseff havia dito algo a esse respeito, mas que não havia nada oficial.
 
“Evidente que qualquer comissão da verdade quer ter mais tempo”, acrescentando que o grupo espera ouvir ainda mais cerca de 250 nomes de envolvidos em episódios na época da ditadura militar.
 
Pinheiro observou que a atuação da comissão é “quase um trabalho de arqueologia” ao resgatar fatos históricos. Ele reiterou, porém, que o grupo não tem competência para exigir a punição de violadores dos direitos humanos, mas cobra que as sentenças proferidas por tribunais internacionais sejam cumpridas.
 
“Um dia, acho que o Estado brasileiro vai cumprir, mas não é da nossa alçada se pronunciar agora [sobre este assunto]”, afirmou, após um seminário sobre o tema em Brasília.
 
Ele disse que, eventualmente, entre as recomendações finais da comissão poderão ser examinados “a estrutura do aparelho de segurança, o ensino no currículo dos colégios e das academias militares e a punição a respeito dos responsáveis”.

Política