PUBLICIDADE
Topo

Política

Leréia diz que vai entrar com recurso contra suspensão de mandato

O deputado federal Carlos Alberto Leréia (PSDB-GO) em depoimento à CPI do Cachoeira - Alexandra Martins/Agência Câmara
O deputado federal Carlos Alberto Leréia (PSDB-GO) em depoimento à CPI do Cachoeira Imagem: Alexandra Martins/Agência Câmara

Da Agência Câmara

11/09/2013 18h07

O deputado Carlos Alberto Leréia (PSDB-GO) informou por meio de nota que entrará com recurso na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) contra a decisão do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, que, por 13 votos a 3, aprovou hoje o relatório do deputado Sérgio Brito (PSD-BA) que recomenda a suspensão do mandato do parlamentar por 90 dias.

Leréia diz que tomará essa decisão por entender que “a decisão foi contrária às provas que constam nos autos”.

Em seu relatório, Brito considerou “censurável a estreita relação de amizade entre Leréia e o contraventor Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, reconhecido como envolvido com o jogo ilegal em Goiás”. A decisão do Conselho ainda precisa ser votada pelo Plenário.

Em agosto o Conselho rejeitou o relatório do deputado Ronaldo Benedet (PMDB-SC), que pedia a perda do mandato de Leréia

O parecer do Conselho será votado ainda hoje. Nesta quarta, também será instaurado o processo contra o deputado Natan Donadon (sem partido-RO), com sorteio de lista tríplice para a escolha do relator do caso.

Entenda o caso

Leréia é acusado de quebra de decoro por supostamente beneficiar Carlinhos Cachoeira em atividades ilegais. Em sua defesa, Leréia já teve duas oportunidades de falar aos parlamentares em audiências no Congresso, além da apresentação da defesa por escrito.

A primeira vez foi em outubro do ano passado durante a CPI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) que investigava a relação de Cachoeira com políticos e empresários. A segunda vez ocorreu há duas semanas no próprio Conselho de Ética.

Nas duas ocasiões, o parlamentar confirmou a amizade com Cachoeira, mas negou tenha cometido qualquer irregularidade e que soubesse que o amigo estava envolvido na exploração de jogos de azar em Goiás e no Distrito Federal.

Política