PUBLICIDADE
Topo

Após reportagem, PF divulga nota em que afasta ligação dos Perrella com cocaína

Do UOL, em São Paulo

10/12/2013 19h21

A PF (Polícia Federal) no Espírito Santo divulgou na tarde desta terça-feira (10) nota em que afasta o envolvimento do deputado estadual Gustavo Perrella (Solidariedade-MG) e do senador Zezé Perrella (PDT-MG) --pai de Gustavo-- com os 445 kg de pasta-base de cocaína apreendidos no helicóptero da Limeira Agropecuária, empresa que pertence à família dos parlamentares.

A nota foi divulgada no mesmo dia que a "TV Gazeta", afiliada da "Rede Globo" no Espírito Santo, exibiu reportagem na qual mostra que o helicóptero da família passou pelo Paraguai antes de ser apreendido em uma fazenda no município de Afonso Cláudio (ES), no dia 24 de novembro.

Quatro pessoas foram presas em flagrante na fazenda, entre elas o piloto do helicóptero Rogério Antunes, funcionário da família e servidor da Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

A informação do trajeto foi dada pelo delegado Leonardo Damasceno, responsável pelas investigações. O GPS do helicóptero indicou que a aeronave esteve no Paraguai no dia 23 de novembro, sábado, e aterrissou no interior de São Paulo, em um local próximo de Avaré, onde a carga foi descarregada.

Ainda no sábado, o helicóptero foi levado até o aeroporto Campo de Marte, na capital paulista, onde pernoitou. No dia seguinte, a aeronave voltou para Avaré e, carregada com a droga, passou por Divinópolis (MG) antes de pousar no Espírito Santo. Não há informações de quem pilotava a aeronave nesses momentos.

Na nota divulgada hoje, a PF informou que, “até o momento, não ficou configurado, a partir das provas periciais já produzidas e dos depoimentos colhidos, qualquer indício de envolvimento da empresa proprietária do helicóptero utilizado para o transporte da droga, nem de seus representantes legais".

Segundo a nota, “as investigações apontam envolvimento isolado do piloto da empresa com o outro piloto preso, que seria a pessoa com vinculação direta à quadrilha proprietária da droga".

A PF afasta a ligação dos Perrella com a droga desde o início das investigações. Em 28 de novembro, quatro dias depois do flagrante, o delegado Leonardo Damasceno disse ao UOL que não existiam indícios de participação dos parlamentares no episódio.

Logo após o caso vir à tona, reportagens mostraram que o helicóptero era frequentemente abastecido com verba indenizatória da Assembleia Legislativa de Minas Gerais e do Senado Federal.

Na nota divulgada hoje, novamente a PF aponta não haver indícios de que o helicóptero foi abastecido com recursos públicos durante o trajeto em que a cocaína foi transportada.

“As provas colhidas na investigação apontam que todos os abastecimentos posteriores ao início do voo foram custeados pelo grupo criminoso, em aeroportos ou pontos clandestinos”, diz o texto.

Política