Topo

PT do Rio oficializa Lindbergh e quer apoiar Romário ao Senado

Ale Silva/Estadão Conteúdo
O senador Lindbergh Farias (centro) será o candidato do PT ao governo do Estado do Rio de Janeiro Imagem: Ale Silva/Estadão Conteúdo

Do UOL, no Rio

2014-06-20T12:00:11

2014-06-27T13:49:40

20/06/2014 12h00Atualizada em 27/06/2014 13h49

O diretório fluminense do PT oficializou nesta sexta-feira (20) a candidatura do senador Lindbergh Farias ao governo do Estado do Rio de Janeiro. De acordo com a secretaria de comunicação do partido, os petistas também definiram uma proposta de aliança com o PSB do Rio, que lançará a deputado federal Romário como candidato ao Senado.

Lindbergh afirmou à imprensa que, às 14h30 desta sexta, irá pessoalmente até a sede do PSB na capital fluminense para conversar com os representantes da legenda sobre uma possível coligação. "Aprovamos o nome do Romário para compor o nosso nome para a chapa nacional. As negociações estão finalizadas", declarou o senador.

Lindbergh definiu a possível parceria com ex-jogador da seleção brasileira --e um dos maiores críticos aos gastos da Copa do Mundo no Brasil-- como um "gol de bicicleta no último minuto".

Questionado sobre o fato de o PSB rivalizar com o PT na disputa pela Presidência da República --Eduardo Campos (PSB) será concorrente da presidente Dilma Rousseff, que tentará a reeleição--, o senador fluminense minimizou o fato.

"Não tem problema. Essa é uma frente do Rio de Janeiro. Romário já era candidato. Ele faz campanha para o Eduardo, eu para a Dilma. A gente decidiu unir esforços no Rio de Janeiro", disse.

A chapa encabeçada por Lindbergh terá Roberto Rocco (PV) como candidato a vice, informou o Partido dos Trabalhadores. A legenda ainda conta com a aliança do PC do B e busca o apoio do PROS na tentativa de reforçar a campanha eleitoral. Somadas as cinco forças políticas (PT, PV, PSB, PC do B e PROS), Lindbergh teria cinco minutos e meio de propaganda na TV.

Os principais adversários de Lindbergh devem ser o atual governador e candidato à reeleição, Luiz Fernando Pezão (PMDB), Anthony Garotinho (PR) e Marcelo Crivella (PRB).

Mais Política