Topo

Quer um candidato "novo" e que promete "mudança"? Vote em todos eles

ThinkStock/Getty Images
Imagem: ThinkStock/Getty Images

Do UOL, em Brasília

30/06/2014 06h00

Armas de campanha, os slogans dos candidatos tentam mostrar a essência dos políticos e "vender" uma imagem que seja atraente aos eleitores. Para isso, boa parte dos recursos de campanha eleitoral são gastos com marqueteiros que pensem um slogan-chiclete. Essas frases de efeito, no entanto, deixam pouco espaço para a criatividade e abusam de repetições.

Vários slogans de campanha descrevem os candidatos como uma alternativa melhor, que traria "novidades" e "mudança" ao eleitor. Mas, na prática, levantamento feito pelo UOL mostra que ao menos dez candidaturas federais e municipais nas últimas eleições usaram expressões como "novo" e "mudança".

A presidente Dilma Rousseff, que se elegeu em 2010 com o slogan “Para o Brasil seguir mudando”, acaba de ser lançada pelo PT como candidata à reeleição neste ano com o bordão nada criativo “Mais mudanças, mais futuro”.

Um dos rivais da presidente, o candidato Eduardo Campos (PSB), lançou a campanha com slogan “Coragem para mudar”. Faltou coragem, no entanto, para admitir que o mote já havia sido usado também por um candidato do PSOL no Rio em 2012.

O uso da palavra “mudança” nas eleições desse ano já causou até mal estar entre dois candidatos ao governo de São Paulo. Alexandre Padilha (PT) que usa o slogan “Para Mudar de Verdade” acusa Paulo Skaf (PMDB) de “copiar” o seu bordão ao utilizar “Mudança de Verdade" em divulgações de sua campanha.

A suposta apropriação do slogan irritou a campanha petista, que chegou a discutir uma subida de tom contra o PMDB, e anunciou que pode ingressar com uma ação na Justiça para derrubar o uso da expressão, segundo informações do jornal “Folha de S.Paulo".

Nas eleições de 2012, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, fez campanha se descrevendo como “O homem novo para um tempo novo”. E a capital paulista também tinha um candidato que defendia “uma nova história para São Paulo” como bordão de campanha do candidato Celso Russomanno (PRB). Na mesma linha, Carlos Gianazzi (PSOL) se vendia como “A mudança que você quer”. Haja mudança.

Bordões personalistas

O “Lula lá” é o exemplo de slogan que gruda na cabeça dos eleitores -- até adversários copiam ou se inspiram. Ainda nas eleições de 2012, o candidato José Serra (PSDB) usou o bordão “Serra já!”.

No Rio em 2012, o candidato Marcelo Freixo (PSOL) baseou sua campanha no tema “Nós somos Freixo. Coragem para mudar” para se contrapor ao candidato Eduardo Paes (PMDB) que tentava reeleição com o slogan “Somos um rio”. Também para se destacar em relação a Paes, o candidato Rodrigo Maia (DEM) usou a expressão “Um novo jeito de fazer”.

Mas há também candidatos que apostem em slogans que nunca mudam. É o caso do PSTU e o sempre presente “Contra burguês vote 16”.

Política