Radicalização de instituições é um 'desserviço' ao país, diz Renan

Carlos Madeiro

Colaboração para o UOL, em Maceió

  • Sergio Lima/Folhapress

    Renan Calheiros, presidente do Senado

    Renan Calheiros, presidente do Senado

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou em nota publicada na tarde desta sexta-feira (4) que a radicalização e a politização das ações das instituições públicas são um "desserviço ao país". Ele pediu bom senso e respeito à legalidade dos poderes.

O texto se referiu à 24ª etapa da Operação Lava Jato nesta sexta-feira, quando a Polícia Federal ouviu coercitivamente o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"As instituições devem guardar os limites de suas atribuições legais e qualquer politização ou radicalização — independente da origem — será um desserviço ao país", disse.

Ainda segundo Calheiros, o país passa por um "período delicado de sua história." "O momento impõe a todos, especialmente aos homens públicos, serenidade, equilíbrio, bom senso, responsabilidade e, sobretudo, respeito à legalidade", afirmou.

Sem citar nomes de pessoas ou órgãos, o presidente do Senado pediu respeito ao "estado democrático de direito, independência dos poderes, liberdade e garantias individuais e coletivas, liberdade de expressão e a presunção da inocência".

"Qualquer investigação, portanto, precisa ser conduzida dentro do respeito à lei e à Constituição federal. O Brasil e sua democracia mais longeva já foram testados anteriormente e, sempre, estarão acima de tudo e de todos", finaliza.
 

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos