Operação Lava Jato

"Lula como ministro pode brecar impeachment", diz um dos fundadores do PT

Maria Júlia Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Raquel Cunha/Folhapress

    Francisco de Oliveira, sociólogo e um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores

    Francisco de Oliveira, sociólogo e um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores

A entrada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para o governo como ministro pode ajudar a brecar o impeachment da presidente Dilma Rousseff, segundo a avaliação do sociólogo e um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores, Francisco de Oliveira. 

"A nomeação de Lula como ministro é uma defesa preventiva as investigações. O ex-presidente reforça o governo Dilma e pode usar seu papel como articulador, ajudar a base aliada e brecar a progressão do processo de impeachment."

Francisco de Oliveira, sociólogo e fundador do PT

Segundo o sociólogo, a presidente Dilma está muito fragilizada e não consegue mais cumprir o papel de articuladora com os diferentes partidos, enquanto Lula ainda pode mudar a estratégia no ministério e regular melhor o governo como um todo. "As coisas vão ter que andar melhor com Lula, se não a indicação vai ser um tiro no pé".

Com a melhora na articulação, Oliveira acredita que Dilma consegue terminar o mandato. "A oposição não tem voto para o impeachment, é um pouco balela. Assumir esse processo não é fácil e o PMDB não é um partido unificado para dar força ao impeachment, duvido que levem adiante. Se o PMDB fosse um partido, e não uma coligação ou um congresso de regionalistas, o perigo seria maior", diz.

O fundador do PT afirma ainda que o movimento para tirar a presidente do poder se assemelha a um golpe, mas distante de qualquer intervenção militar. "É muito parecido com um golpe, a diferença é que a condução do processo está sendo mais institucional, mas é um movimento para destituir a presidente mesmo sem provas dela ser corrupta, só por ser um pouco incompetente".

O momento turbulento deve levar o PT para direita, por não ter outra saída, de acordo com o sociólogo. Oliveira afirma que apesar do caos a figura principal do partido continuará sendo Lula, uma vez que personagens como José Dirceu e José Genoíno, que formavam o figurino petista, não tem mais como atuar e o PT esgotou suas cartas na manga. Nesse contexto, o fundador do PT acredita que Lula não desistirá da presidência em 2018, justamente por ser o único rosto do partido.

"Se agirem rápido, Lula deve se tornar ministro para dificultar sua prisão, o que pode afetar sua imagem, vai repercutir, mas ele irá fugir de Sérgio Moro (juiz federal que comanda a Operação Lava Jato) e até 2018 muita coisa pode acontecer... Acredito que Lula não abdicará de ser presidente, mesmo com a imagem desgastada". 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos