Deputado de MG pede à PGR suspeição de Mendes para investigar Aécio

Carlos Eduardo Cherem

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte

  • Pedro Ladeira/Folhapress

    O ministro Gilmar Mendes, ao tomar posse do cargo de presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral)

    O ministro Gilmar Mendes, ao tomar posse do cargo de presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral)

O líder da bancada governista na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, deputado estadual Rogério Correia (PT) entrou nesta quarta-feira (18) com um pedido de suspeição na PGR (Procuradoria Geral da República) contra o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes, em relação aos casos em que envolvem acusações contra o senador Aécio Neves (PSDB). 

Gilmar Mendes foi escolhido por sorteio para ser relator do pedido de abertura de inquérito para apurar o envolvimento do tucano com irregularidades em Furnas e decidiu que não há motivos para investigações do Senador. As denúncias foram feitas pelo próprio Correa, o que levou às investigações e posterior denúncia contra o senador pela PGR.

Segundo Correa, o ministro "diversas vezes já manifestou antipatia ao Partido dos Trabalhadores, ao ex-presidente Lula e à presidenta (afastada) Dilma Rousseff".

"Gilmar Mendes se mostra "amigável" ao senador Aécio Neves sempre que há alguma suspeita contra o tucano", disse o parlamentar

Na peça apresentada à PGR, o deputado afirma que entregou pessoalmente "fartas provas da participação do senador Aécio Neves no esquema de corrupção na estatal Furnas, o que levou ao encaminhamento do primeiro inquérito ao STF (Supremos Tribunal Federal)".

"O ministro Gilmar Mendes devolveu o inquérito à PGR, para reavaliação. Embora esse mesmo conjunto de provas, de conhecimento de autoridades estaduais e federais, tenha sido considerado suficiente para a abertura de procedimento pela procuradoria federal, de inquérito na PC (Polícia Civil) de Minas Gerais, além de dois procedimentos, um no MP (Ministério Público) de Minas Gerais, e um no MPF (Ministério Público Federal), não foi considerado suficiente para o ministro (Gilmar Mendes)".

Gilmar Mendes cancela depoimento de Aécio Neves em investigação

  •  


O deputado afirmou ainda em seu pedido à PGR que, questionado sobre a decisão do então advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, de entrar com novo recurso na corte, visando anular o impeachment, o Gilmar Mendes afirmou: "Ah, eles podem ir para o céu, o Papa ou ao diabo".

A assessoria de Aécio Neves disse que o senador  não comentaria o pedido de suspeição de Mendes.  Já o magistrado havia declarado na segunda-feira (16) que não pediu o fim das investigações. "Trata-se de mera suspensão de diligências, não houve cancelamento de absolutamente nada", declarou o ministro.

Outro lado
 
O líder da oposição ao governo petista de Minas Gerais, deputado estadual Gustavo Valadares (PSDB), criticou a iniciativa de Correa.
 
"Ninguém leva mais a sério aqui (em Minas Gerais) o que o deputado Rogério Correa diz ou fala. É um piadista e faz outra de suas piadas, procurando os holofotes", afirmou Correa.
 
"Porque ele (Correa) nunca questionou antes os ministros do STF que foram advogados do PT?", indagou o parlamentar.
 
"O deputado virou uma coisa folclórica".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos