PUBLICIDADE
Topo

Política

Prefeito preso após elogio em voto do impeachment é solto e tenta reeleição em MG

Ruy Muniz (PSB), prefeito de Montes Claros (MG) afastado por decisão judicial - Reprodução/Facebook/André Senna
Ruy Muniz (PSB), prefeito de Montes Claros (MG) afastado por decisão judicial Imagem: Reprodução/Facebook/André Senna

Carlos Eduardo Cherem

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte

28/07/2016 09h38

Preso em um hotel de Brasília na manhã de 18 de abril deste ano, poucas horas após sua mulher, a deputada federal Raquel Muniz (PSD), ter dito na votação do processo do impeachment que ele era exemplo de gestão para o Brasil, o prefeito de Montes Claros (MG), Ruy Muniz (PSB), foi solto pela Justiça nesta quarta-feira (27), a tempo de candidatar-se à reeleição. 

A decisão que revogou a prisão do prefeito do município (a 425 km de Belo Horizonte) é do TRF (Tribunal Regional Federal) da 1ª Região. O socialista havia sido preso preventivamente pela PF (Policia Federal) pela suspeita de prejudicar os hospitais da cidade credenciados pelo SUS (Sistema Único de Saúde) para beneficiar o Hospital Mário Ribeiro, que pertence a uma rede educacional administrada pela sua família. Desde 21 de maio, Muniz havia deixado o presídio de Montes Claros e cumpria prisão domiciliar.

Embora agora tenha a perspectiva de ser candidato à reeleição, Muniz continua fora da chefia do Executivo local. Seu afastamento do cargo foi determinado em outro processo, quando ele também foi proibido de manter contatos com servidores da prefeitura. Assim, continua no comando do município o prefeito em exercício José Vicente Medeiros (PMDB), eleito vice-prefeito e que assumiu como titular no dia 15 de maio.

Logo após a decisão do TRF, revogando a prisão, Muniz concedeu entrevista e anunciou que é pré-candidato à reeleição. Disse também que espera retornar a prefeitura em breve e informou que, durante os dias em que esteve preso, escreveu um livro sobre sua vida e montou planos para uma futura administração, caso consiga se eleger para novo mandato.

“Um livro muito interessante que conta a minha história, meu período enquanto prefeito. Um livro que conta que a política brasileira pode ter jeito; basta trabalhar sério para as pessoas”, afirmou o prefeito afastado.

“Todos querem nossa volta. Fui preso por lutar pela saúde do povo de Montes Claros e vou continuar lutando para que todos tenham acesso à saúde. Ainda não posso interferir na administração municipal. Mas vou participar normalmente da convenção do meu partido", disse.

 

Política