Alan Marques/Folhapress

Processo de impeachment

Lewandowski repreende Gleisi Hoffmann em julgamento do impeachment no Senado

Do UOL, em São Paulo

Após repetir que o "Senado não tem moral para julgar a presidente Dilma Rousseff", a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) foi repreendida na noite desta quinta-feira (25) pelo presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Ricardo Lewandowski.

Pela manhã, a afirmação da senadora petista já havia provocado um tumulto no Plenário do Senado, antes mesmo que os parlamentares começassem a ouvir o procurador do Ministério Público junto ao TCU (Tribunal Contas da União) Júlio Marcelo de Oliveira.

Por volta das 21h, Gleisi voltou a repetir sua declaração em resposta à senadora pró-impeachment Ana Amélia (PP-RS): "Eu não vou retirar o que disse porque esse Senado da República não tem moral para julgar a presidente. Não tem moral". A declaração da petista finalizou uma sucessão de ataques entre senadores a favor e contra o impeachment que praticamente interrompeu o interrogatório do procurador, que foi ouvido na qualidade de informante e não de testemunha de acusação.

Houve um início de um novo bate-boca, o que levou a uma intervenção de Lewandowski, que preside no Senado o julgamento final de Dilma Rousseff. O ministro teve dificuldades para controlar os ânimos. "Senadora, por favor. Com todo respeito, eu não posso...  Senadores, eu estou conduzindo os trabalhos. Senadora, por gentileza, essa expressão não é admissível num julgamento." Ele pediu que a senadora não repetisse mais a frase.
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos