Processo de impeachment

Cardozo diz que senadores absolverão Dilma se julgarem com "racionalidade"

Felipe Amorim

Do UOL, em Brasília

O advogado José Eduardo Cardozo, que faz a defesa da presidente afastada, Dilma Rousseff, no processo de impeachment, afirmou que se os senadores julgarem com "racionalidade" o depoimento da petista nesta segunda (29) ao Senado, isso seria suficiente para garantir sua absolvição.

"Se fosse julgado com racionalidade com base nas provas dos autos, esse depoimento resolveria tudo", disse. "Não se pode jamais afastar um presidente da República com pretextos tão frágeis", afirmou Cardozo.

Em depoimento que durou mais de 13 horas, Dilma fez uma defesa das opções de seu governo para enfrentar a crise econômica e afirmou que, se for condenada sem que haja comprovação de crime de responsabilidade, estará sendo vítima de um golpe parlamentar. A petista negou 16 vezes que tenha cometido crime de responsabilidade.

Dilma participou no Senado da fase de interrogação do processo de impeachment e aproveitou para elogiar, na parte final da longa sessão, os programas sociais do PT. Também criticou o que chamou de machismo nas motivações do processo e o "uso ideológico" das delações premiadas. Mais cedo, fez um discurso de 50 minutos como princípio de sua defesa.

A sessão de julgamento será retomada às 10h desta terça-feira (30). O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse acreditar que o julgamento se encerre na madrugada de terça para quarta-feira (31). Para Dilma ser condenada, é preciso o voto de 54 senadores. 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos