Alan Marques/Folhapress

Processo de impeachment

Troca de agressões durante ato contra impeachment no RS é investigada

Colaboração para o UOL, em Porto Alegre

Uma troca de agressões flagrada por populares na noite dessa quarta-feira, durante protesto contra presidente Michel Temer, está sendo investigada. O vídeo está repercutindo nas redes sociais. Ao menos um dos envolvidos será indiciado por tentativa de homicídio.
 
Nas cenas, policiais militares de Caxias do Sul (134 km de Porto Alegre), na Serra gaúcha, agridem um homem que tenta resistir à prisão. Depois que caem em briga no chão, um dos policiais recebe um chute no rosto de um jovem que se aproxima. O jovem, que é filho do homem que resistia, foi preso e dois policiais foram hospitalizados, um com traumatismo craniano. O comando da BM (Brigada Militar) afirmou que vai apurar a conduta dos policiais.
 
As imagens foram feitas no centro da cidade, no término de um protesto contra o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. O advogado Mauro Rogério Silva dos Santos publicou no Facebook, mais cedo, um relato do que ocorreu, conforme sua ótica. "Eu sou a pessoa agredida no vídeo. Tenho vários machucados mas estou bem." Ele explica que foi buscar o filho na faculdade, como de costume, quando foi avisado que um casal estava sendo detido pela Brigada Militar.

"Cheguei e vi uma moça e um jovem, certamente menor de mão na parede e os policiais se preparando para conduzi-los a delegacia. Retirei mina carteira e apresentei aos policiais para saber da razão da condução dos jovens e qual o nome deles. De imediato fui repelido com empurrões e não tive a condição de advogado reconhecida, talvez por eu ser negro", escreveu.

No vídeo, é possível ver Santos sendo agredido a golpes de cassetete e recebendo jatos de spray de pimenta no rosto. Os policiais militares não o algemam. Enquanto isso, manifestantes que assistem à cena tentam desencorajar as agressões, sempre sendo observados por outros policiais, ao menos um deles com uma espingarda com munição não letal.

No fim do vídeo, é possível ver que Santos agride um policial e cai no chão. Dois brigadianos caem com ele. Nesse momento, um dos soldados - identificado como Cristian Luiz Preto - recebe um chute no rosto de Vinicius Zabot dos Santos, filho do advogado.
 
Todos foram levados à delegacia. Santos foi liberado, assim como o casal de jovens, que ele tentou defender. Os dois responderão por crime ambiental, pois estariam fazendo pichações. Já Vinicius foi preso e deve indiciado por tentativa de homicídio. Ele foi levado à Penitenciária Industrial de Caxias.
 
Conforme o comando da BM, será aberto um IPM ( Inquérito Policial Militar) para apontar a conduta dos policiais. Ainda segundo o comando, Preto está internado com traumatismo craniano. Um segundo militar, sargento Paulo Roberto Wentz, teria sido atingido por Santos com uma cabeçada e perdeu três dentes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos