Sai Dilma, entra Temer: o que mudou no desfile do 7 de Setembro

Do UOL, em São Paulo

Michel Temer participou nesta quarta-feira de seu primeiro desfile do 7 de Setembro como presidente efetivo, após o impeachment de Dilma Rousseff na semana passada. O evento com Temer na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, registrou diferenças em relação ao com Dilma e com outros presidentes em anos anteriores.

Carro fechado

Alan Marques/ Folhapress e Mateus Bonomi/Futura Press/Estadão Conteúdo

Temer, também por decisão pessoal, chegou à Esplanada em um Chevrolet Omega oficial, fechado, quebrando a tradição de desfilar no Rolls Royce conversível da Presidência. Além de Dilma, esse era um padrão também cumprido por Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso, que também utilizavam a faixa presidencial ao chegar para o desfile.

Sem faixa

Pedro Ladeira/Folhapress e André Dusek/Estadão Conteúdo

Diferentemente de Dilma, Temer não usou a faixa presidencial no desfile. Segundo informou o Planalto, essa foi uma decisão pessoal do presidente.

Protestos, de novo

Nesta quarta, parte do público presente entoou gritos de "fora, Temer" e chamou o presidente de "golpista". Outros aplaudiram a chegada do presidente, enquanto o coro "a nossa bandeira jamais será vermelha", aparente crítica ao PT, também foi ouvido.

Manifestantes gritam "fora, Temer" no desfile

No ano passado, Dilma já era alvo de manifestantes que pediam o impeachment, e cerca de mil pessoas foram à Esplanada dos Ministérios protestar contra a ex-presidente. Alguns apoiadores da petista, em menor número, também compareceram.

Em 2015, manifestantes levaram boneco de Dilma no 7 de Setembro

Companhias diferentes                                                                                                                                                               

Ricardo Borges/Folhapress

Neste ano, Temer teve a seu lado o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), representando os Poderes Judiciário e Legislativo. Também marcaram presença o governador do DF, Rodrigo Rollemberg (PSB), e ministros como Raul Jungmann (Defesa), Eliseu Padilha (Casa Civil) e Alexandre Moraes (Justiça).

Alan Marques/ Folhapress

Em 2015, Dilma esteve em companhia de Temer, então vice-presidente, e de Rollemberg, com seus ministros Jaques Wagner (Defesa), Aloizio Mercadante (Casa Civil) e José Eduardo Cardozo (Justiça). Na época, ela tinha Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara dos Deputados, como um de seus principais desafetos políticos --meses depois, ele aceitaria o pedido de impeachment que deu início à deposição da petista.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos