Polícia afasta sindicalistas que tentavam acompanhar evento com Temer

Flávio Ilha

Colaboração para o UOL, em Porto Alegre

  • Itamar Aguiar/Estadão Conteúdo

    Temer participa da solenidade de entrega de 61 ambulâncias a prefeitos gaúchos para renovação da frota do Samu

    Temer participa da solenidade de entrega de 61 ambulâncias a prefeitos gaúchos para renovação da frota do Samu

Um grupo de sindicalistas que tentava ingressar no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), na região metropolitana de Porto Alegre, foi retirado da área de acesso por soldados do Batalhão de Choque da Brigada Militar. Os manifestantes queriam acessar uma área onde o presidente Michel Temer realiza a entrega de 61 ambulâncias do Samu.

Segundo os sindicalistas, o portão de acesso estava aberto. Um grupo com cerca de 50 pessoas conseguiu entrar no local, mas foi impedido pela ação da BM.

Segundo os sindicalistas, os policiais usaram gás de pimenta e empurraram o grupo para fora do parque. O portão foi fechado logo em seguida.

O tenente-coronel José Nilo Correa, do 34º BPM, confirmou o uso de força para retirar os manifestantes. Segundo ele, os sindicalistas usaram cabos de bandeiras e pedras para atacar os policias.

O protesto reuniu sindicalistas do funcionalismo público federal e estadual, além de CUT (Central Única dos Trabalhadores), CTB e NCST (Nova Central Sindical de Trabalhadores). Em outros dois portões de acesso também houve protesto, mas sem registro de violência.

O presidente chegou ao Parque de Exposições por volta das 10h45, depois de sobrevoar áreas atingidas por um ciclone no Vale do Paranhana, na região metropolitana, na semana passada. A cerimônia foi restrita a convidados, como prefeitos e deputados estaduais e federais.

Após a chegada de Temer, os manifestantes interromperam pelo menos três vezes a BR 116 – ligação do Parque com Porto Alegre. Policiais rodoviários federais desobstruíram a via, mas não houve registro de violência.

Novo presídio federal no RS

Temer afirmou, em entrevista à "Rádio Guaíba", que o Rio Grande do Sul poderá ser um dos Estados que receberá os cinco presídios federais de segurança máxima anunciados após os massacres que deixaram presidiários mortos no Amazonas e em Roraima, na semana passada.

Ele também prometeu repasse de "quase R$ 45 milhões" para a construção de um presídio no Rio Grande do Sul, a ser executada pelo governo do Estado.

"Há oportunidade, vou conversar ainda com o governador (Ivo Sartori). O governo federal vai construir cinco presídios, quem sabe um também pode ir para o Rio Grande do Sul", afirmou o presidente, antes de embarcar para Esteio. (Com Estadão Conteúdo)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos