Operação Lava Jato

Filho do ministro Teori Zavascki conclama imprensa a investigar morte do pai

Flávio Ilha

Colaboração para o UOL, em Porto Alegre

  • Camila Domingues/Agência RBS/Estadão Conteúdo

    Francisco Zavascki disse, após missa de 7º dia, que é preciso ?fazer valer o princípio da imprensa livre?

    Francisco Zavascki disse, após missa de 7º dia, que é preciso ?fazer valer o princípio da imprensa livre?

O filho do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Teori Zavascki, que morreu na semana passada em um acidente aéreo em Paraty (RJ), conclamou a imprensa nesta quarta-feira (25) a acompanhar as investigações sobre as circunstâncias do desastre e comparou o trabalho dos jornalistas a uma "missão". Francisco, que é advogado, disse que é preciso "fazer valer o princípio da imprensa livre". Na segunda-feira (23), o juiz Raffaele Felice Pirro, da 1ª Vara Federal de Angra dos Reis, decretou sigilo nas investigações sobre o acidente.

"Nós [a família] queremos e vamos acompanhar as investigações. Mas mais importante é que vocês [imprensa] acompanhem. Vocês não têm um trabalho, vocês têm uma missão com o país, que é acompanhar todos os detalhes dessa investigação. Para que não reste dúvida para ninguém, para a família e para o país. Para que a verdade, seja qual for, apareça. Na verdade, eu convoco vocês para fazerem valer o princípio da imprensa livre, fazerem valer o trabalho de vocês, que é muito importante. Talvez vocês não tenham a noção da importância que vocês têm para o país hoje", disse dirigindo-se aos repórteres que cobriam a missa de sétimo dia do ministro.

Falando em nome da família, Francisco agradeceu o "tratamento respeitoso" que recebeu dos jornalistas durante o funeral de Teori e ressalvou que nem ele e nem os irmãos têm qualquer convicção sobre o que aconteceu. "Não, nenhuma. Absolutamente nenhuma convicção. Queria deixar claro isso. Queremos a verdade, mas ninguém acha, ou acredita, em qualquer teoria, para qualquer dos lados", continuou.

A missa foi realizada no final da tarde na paróquia de Nossa Senhora de Mont'Serrat, no mesmo bairro monde o ministro passava os finais de semana depois de assumir uma vaga no STF. Durante a celebração, a filha de Teori, Liliana, leu uma carta em homenagem ao pai em que também menciona a morte inesperada de Teori. "É difícil de entender, pois tinhas muito o que viver e estavas numa hora importante da tua vida e do país", disse.

Renato Costa/Folhapress
O ministro do STF Teori Zavascki participa de sessão no STF (Supremo Tribunal Federal)

Chorando muito, Liliana também lembrou do que escreveu ao pai quando ele foi nomeado ministro do STF pela ex-presidente Dilma Rousseff. "Escrevi que perdia eu, mas ganhava o Brasil. Agora, perde o Brasil, ganha o céu", afirmou.

A celebração reuniu amigos, colegas e familiares de Teori. Não havia políticos na cerimônia, rezada pelo padre Agostinho. Durante a missa, o padre leu trechos da Carta de São Paulo aos Romanos  – nesta quarta-feira, a Igreja Católica comemora a conversão de São Paulo ao cristianismo.

"Era um bom companheiro. Ajudava a muitas pessoas sem alardear que estava ajudando, sem tocar as trombetas, como diz o Evangelho. Ele cumpriu sua missão de verdade", disse o padre.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos