"Guerreira" e "alicerce de Lula": políticos repercutem morte de Marisa

Janaina Garcia e Nathan Lopes*

Do UOL, em São Paulo e Brasília

Além do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, políticos como deputados e senadores repercutem na manhã desta quinta-feira (2) a morte cerebral da ex-primeira dama, Marisa Letícia. Ela não resistiu às complicações decorrentes de um AVC (acidente vascular cerebral) do tipo hemorrágico e teve a morte cerebral declarada hoje cedo pelo hospital Sírio Libanês.

Na Câmara dos Deputados, onde acontece hoje a eleição para a nova presidência, o atual presidente e candidato à reeleição, Rodrigo Maia (DEM-RJ), prestou solidariedade à família de Marisa Letícia e a classificou como uma "pessoa especial". A declaração foi dada enquanto ele se encaminhava ao plenário para a sessão de eleição.

Aliado do governo da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), o deputado federal Silvio Costa (PTdoB-PE) lamentou o fato de pessoas terem feito agressões à ex-primeira-dama enquanto ela estava internada. "A que ponto chegou a intolerância nesse país para que as pessoas percam o maior ingrediente da vida, que é o ingrediente da alma e agridam uma senhora como a dona Marisa", disse, na Câmara. Semana passada, militantes contrárias a Lula foram até a porta do Sírio pedir que Marisa Letícia fosse atendida no SUS (Sistema Único de Saúde).

Sobre a ex-primeira-dama, Costa comentou que "só quem a conhecia sabia a fortaleza que era ela". "Só quero dizer uma coisa: morreu uma trabalhadora, uma mulher digna, honrada, que conhecia as dores e os sorrisos da vida". Para o deputado, "hoje é um dia triste para o Brasil". "Para aqueles que amam o presidente Lula, o Brasil está triste".

Deputado federal pelo PT de São Paulo, Paulo Teixeira afirmou que toda a bancada do partido na Câmara se organizou para ir a São Paulo, em um voo das 17h, para prestar solidariedade à família. "Estamos profundamente entristecidos". "Ela faz parte da história do Brasil. Ela acompanhou o presidente Lula desde as graves no ABC [região da Grande São Paulo]. Deu grandes exemplos, bons exemplos", disse. "Ela vai descansar".

Também candidato à presidência da Câmara, o deputado federal Julio Delgado (PSB-MG) sugeriu a suspensão da sessão para a escolha da nova chefia da Casa "em respeito à família" de Lula. "Temos que ter um pouco de sensibilidade. Tivemos insensibilidade no dia 29 de novembro [tragédia com o voo do avião da Chapecoense]". Para ele, a falta de sensibilidade pode afastar a Câmara da sociedade.

Outros políticos se manifestaram também por meio de notas à imprensa e em redes sociais. "Muito mais do que a passeata das mulheres de sindicalistas na luta pela liberdade de dirigentes de nosso Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, ou da confecção da primeira bandeira do nosso Partido, dona Marisa sempre foi o alicerce do companheiro Lula e de toda a família, permitindo que ele estivesse sempre disponível para nos liderar e fazer avançar a luta dos trabalhadores em nosso país", disse, por nota, o ex-prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho (PT).

"Viva para sempre no nosso amor, dona Marisa Letícia. Nossos sentimentos ao Lula e família. #ForçaLula #ObrigadoCompanheira #MarisaPresente", escreveu a deputada federal e ex-ministra do governo Dilma Rousseff Maria do Rosário (PT-RS).

Para a senadora petista Gleisi Hoffmann, do Paraná, "hoje é um dia de muita tristeza para todos os brasileiros." "Perdemos nossa querida e eterna primeira dama. Dona Marisa nos deixou num momento muito difícil para o país, mas enquanto esteve ao lado do presidente Lula foi exemplo de força e coragem. Mesmo diante das adversidades e da perseguição implacável que sofreram, ela se manteve firme, serena e nunca desistiu de lutar, junto com Lula, por um país mais justo e fraterno. Perdemos uma grande estrela hoje, mas sua coragem sempre será lembrada por todos nós. Meu carinho e solidariedade ao presidente Lula. #ForçaLula #ForçaLulaeFamília", escreveu, em nota, em sua página no Facebook.

Em sua página oficial no Facebook, a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ), candidata à Prefeitura do Rio ano passado, escreveu: "Diante das tempestades, injustiças e dos ataques da mídia, dona Marisa lutou com altivez. Uma mulher corajosa, presente e autêntica. Nunca esmoreceu, assim como nosso povo. Era o ombro afetuoso e a sabedoria das horas difíceis para seu companheiro de sonhos e realizações. Agora se vai, de repente. Que sua família receba nosso abraço afetuoso e sincero, do tamanho de nosso país e da grandeza de nossa gente."

O novo presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), divulgou nota oficial de pesar onde diz que a morte de Marisa deixa um profundo vazio para a família. "Dona Marisa nos deixa a sua dignidade e a sua simplicidade como legado", afirmou o senador. "Foi uma mulher forte, atuou na militância política com doçura e firmeza, mas foi, sobretudo, mãe e esposa extremamente dedicada aos seus entes queridos", disse o senador na nota.

Em nota no Facebook, a ex-senadora e ex-ministra do meio ambiente Marina Silva (Rede) expressou "solidariedade e respeito neste momento de perda e dor" pela morte da ex-primeira dama. "Que Deus dê conforto ao seu esposo, o ex-presidente Lula, aos seus filhos, familiares e amigos."

O time de futebol Corinthians também publicou uma homenagem nas redes sociais.

No início da noite, o ex-presidente do Senado e atual líder do PMDB na Casa, Renan Calheiros (AL), divulgou nota lamentando a morte de Marisa, a quem chamou de "esteio de toda a família". No texto, Renan disse ainda que "aqueles que compartilharam desse convívio familiar têm a exata compreensão do papel de Dona Marisa ao lado do Presidente Lula".

* (Colaborou Aiuri Rebello, do UOL em São Paulo)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos