Espinosa (MG) decreta luto e ponto facultativo pelo pai de Cármen Lúcia

Do UOL, em São Paulo

  • CHELLO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

    A presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministra Cármen Lúcia

    A presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministra Cármen Lúcia

A prefeitura de Espinosa, no Norte de Minas (cerca de 700 km de Belo Horizonte), decretou luto oficial de três dias pela morte do empresário Florival Rocha, 98,  pai da presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministra Cármen Lúcia. O decreto de luto determina ponto facultativo de três dias em todas as repartições públicas municipais.

De acordo com a secretaria de comunicação da prefeitura, o corpo do empresário será encaminhado às 11h para Belo Horizonte, onde será velado e sepultado. Ainda segundo o órgão, Rocha era proprietário de lojas de materiais para construção e de postos de combustíveis na cidade mineira.

A assessoria de imprensa do STF confirmou a morte do pai da presidente, mas, a pedido dela, não deu detalhes sobre o caso – como causa da morte e horário do sepultamento, por exemplo. Conforme a assessoria, porém, a ministra está com a família em Minas, e a cerimônia será restrita aos familiares.

As sessões no Supremo não foram adiadas: na ausência de Cármen Lúcia, serão conduzidas pelo vice dela, ministro José Antônio Dias Tóffoli.
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos