Em ato com Temer e Moro, comandante do Exército cita "incontáveis escândalos de corrupção"

Felipe Amorim

Do UOL, em Brasília

  • Pedro Ladeira/Folhapress

    O juiz federal Sergio Moro e o presidente Michel Temer se cumprimentam

    O juiz federal Sergio Moro e o presidente Michel Temer se cumprimentam

Nas comemorações do Dia do Exército, nesta quarta-feira (19), em Brasília, o comandante do Exército, general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, disse existir um momento de "aguda crise moral" no país, "expressa em incontáveis escândalos de corrupção".

A afirmação foi feita durante a cerimônia que entregou as condecorações da Ordem do Mérito Militar a autoridades e celebridades como o juiz Sergio Moro e o apresentador Luciano Huck, e que teve a participação do presidente Michel Temer (PMDB).

Temer, que foi citado nas delações da Odebrecht e tem diversos integrantes do primeiro escalão do governo investigados pela Operação Lava Jato, não discursou durante a cerimônia. O presidente tem negado as acusações. Moro não falou com a imprensa.

O juiz já estava presente quando o Temer chegou ao local e o cumprimentou.

O general Vilas Bôas também afirmou em seu discurso que "não há atalhos fora da Constituição" e que o Exército tem "fé nos valores da democracia".

Não há atalhos fora da Constituição! O caminho a ser seguido requer a sinergia de todos (...) Temos fé nos valores da democracia, na nossa gente, na resiliência que nos fez vitoriosos tantas vezes e na cordialidade que requer respeito às desigualdades e diferenças

Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, comandante do Exército

"Apesar dos esforços dos governos, o colapso da segurança pública nos cobra dezenas de milhares de vidas por ano, a aguda crise moral, expressa em incontáveis escândalos de corrupção, nos compromete o futuro, a ineficiência nos retarda o crescimento, a ausência, em cada um de nós, brasileiros, de um mínimo de disciplina social, indispensável à convivência civilizada, e uma irresponsável aversão ao exercício da autoridade oferecem campo fértil ao comportamento transgressor e à intolerância desagregadora", afirmou o general.

Além de Moro e Huck, o Exército também ofereceu condecorações do Mérito Militar aos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo, e Luís Roberto Barroso.

Os senadores Álvaro Dias (PV-PR) e Armando Monteiro (PTB-PE) estavam na lista dos agraciados com a homenagem militar. A cerimônia foi realizada no quartel-general do Exército e contou com a presença de poucos políticos.

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e seu filho, o também deputado Eduardo Bolsonaro (PSC-SP), foram aplaudidos por parte do público ao terem seus nomes anunciados pelo mestre de cerimônia entre as autoridades presentes. Eles não receberam condecorações e apenas assistiram à cerimônia.

Após o encerramento da cerimônia, estudantes do Colégio Militar de Brasília que participaram da solenidade pediram para tirar fotos com os deputados da família Bolsonaro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos