TSE cassa governador do Amazonas e determina novas eleições

Felipe Amorim

Do UOL, em Brasília

  • Edmar Barros/Futura Press/Estadão Conteúdo

    José Melo (Pros) foi acusado de comprar votos para reeleição em 2014

    José Melo (Pros) foi acusado de comprar votos para reeleição em 2014

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) determinou nesta quinta-feira (4) a cassação dos mandatos do governador do Amazonas, José Melo (PROS), e de seu vice, Henrique Oliveira (SD), e a convocação de novas eleições no Estado para os cargos.

O governador José Melo (Pros) foi acusado de comprar votos na campanha em que conseguiu a reeleição, em 2014. Melo e seu vice já haviam sido condenados pelo TRE-AM (Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas), sentença confirmada hoje pelo TSE, que julgou recurso da defesa do governador.
 
A ação contra Melo foi apresentada à Justiça Eleitoral pela coligação adversária em 2014, que tinha o senador Eduardo Braga (PMDB-AM) como candidato ao governo.
 
Os ministros do TSE determinaram a "execução imediata" da decisão. A defesa do governador, no entanto, ainda pode recorrer ao STF, que pode, em tese, determinar sua manutenção no cargo até que o Supremo julgue o recurso.
 

Outro lado

A assessoria de imprensa do governo do Amazonas informou que José Melo se disse "surpreso" com a decisão. Por meio de nota, o governador disse considerar o resultado injusto, embora respeite a decisão da Corte superior.
 
"Recebi com grande surpresa a decisão do TSE, que considerei injusta, pois não pratiquei nenhum ato reprovável. Respeito a decisão e vou aguardar a publicação do acórdão", disse José Melo. Ele se reúne nesta quinta-feira com advogados para definir quais medidas serão adotadas.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos