Antes de julgamento no TSE, Temer se reúne com políticos do PSDB

Do UOL, em Brasília

  • Dida Sampaio - 20.mai.2017/Estadão Conteúdo

    O presidente Michel Temer (PMDB) em evento no dia 20 de maio

    O presidente Michel Temer (PMDB) em evento no dia 20 de maio

Às vésperas do julgamento do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) que pode cassar seu mandato, o presidente Michel Temer (PMDB) se reuniu neste domingo (4) com o ministro da Secretaria de Governo, Antônio Imbassahy, do PSDB, e outros políticos tucanos.

O PSDB é o principal partido aliado do governo Temer, com quatro ministros. Os tucanos também têm a segunda maior bancada no Senado, só atrás do PMDB, e a terceira maior na Câmara, depois de PMDB e PT.

Com Temer sob pressão após a delação dos executivos da JBS e a prisão do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), que também foi assessor do presidente, o apoio político do PSDB é essencial para que o peemedebista se firme na presidência. No entanto, parte da bancada tucana no Congresso, principalmente na Câmara, tem pressionado para que a legenda desembarque do governo.

O ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB), afirmou nesta sexta-feira (2) que o partido continuava discutindo uma eventual saída do governo Michel Temer. Segundo ele, o PSDB "delegou" o processo ao presidente da sigla, senador Tasso Jereissati (CE), mas as decisões serão tomadas em conjunto.

Tasso Jereissati, que passou a comandar o partido com o afastamento de Aécio Neves (MG) do Senado pelo relator da operação Lava Jato no STF (Supremo Tribunal Federal), Edson Fachin, já declarou que a decisão deve ser tomada esta semana que vem. Na quinta (1º), Jereissati disse que o resultado na Corte não será mais fator determinante. O objetivo, disse, é não deixar o partido ficar rachado.

Turbulência política pode afetar julgamento no TSE

O TSE retoma nesta terça-feira (6) o julgamento que pode cassar o mandato de Temer no momento da pior crise política de seu governo. Em reservado, ministros do TSE afirmam que a turbulência que atinge o governo pode influenciar os rumos da decisão.

Temer rejeitou as suspeitas contra ele, disse não ter cometido crimes e classificou de "fraudulenta" a gravação feita por Joesley do encontro entre os dois, fora da agenda oficial, no Palácio do Jaburu.

Os sete ministros da corte eleitoral vão analisar se houve irregularidades na campanha de 2014 que reelegeu a presidente Dilma Rousseff (PT) e Temer como seu vice, na esteira de depoimentos de delatores que reafirmam à Justiça Eleitoral o pagamento de caixa dois à chapa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos