Após ganhar fôlego, Temer amplia viagem internacional

Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

  • Reprodução

O Ministério das Relações Exteriores confirmou nesta segunda-feira (12) à noite que o presidente da República, Michel Temer (PMDB), viajará para Oslo, capital da Noruega, nos dias 22 e 23 de junho. A ida ao país representa uma ampliação da viagem oficial que Temer fará a Moscou, na Rússia, nos dias 20 e 21 do mesmo mês.

Segundo o ministério, em Oslo, Michel Temer, se encontrará com a primeira-ministra Erna Solberg em visita oficial bilateral. Mais informações ainda não foram divulgadas.

Em Moscou, Temer também fará uma visita oficial bilateral ao presidente da Rússia, Vladmir Putin, onde tratarão de assuntos econômicos e comerciais. Segundo a Presidência, o encontro no Kremlin é fruto de um convite a Temer feito pelo governo russo em 15 de dezembro do ano passado e está sendo planejado há meses.

A confirmação da ampliação da viagem acontece em um momento em que o presidente tem conseguido contingenciar, mesmo que momentaneamente, a crise política no país.

Na última sexta-feira (9), ele foi absolvido pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Nesta segunda-feira, o PSDB anunciou que permanecerá na base governista.

O desembarque do partido, porém, pode voltar a ser cogitado se a PGR (Procuradoria-Geral da República) apresentar uma denúncia contra o peemedebista.

Não se sabe quando ou mesmo se a denúncia será apresentada, mas o Planalto já trabalha com a hipótese de que ela deve ser enviada ao STF (Supremo Tribunal Federal) nas próximas semanas.

O governo chegou a considerar cancelar a viagem para a Rússia, apurou o UOL. Isso porque após a apresentação da denúncia pela PGR ao tribunal, ela é encaminhada à Câmara dos Deputados.

Na Casa, Temer precisa de ao menos 172 votos para barrar a abertura do processo no STF. Para assegurar a fidelidade dos parlamentares, a presença de Temer em Brasília é vista como fundamental.

Nesta terça-feira (13) pela manhã, o presidente Michel Temer se reuniu com o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira (PSDB), no Palácio do Planalto. Eles também já haviam se encontrado nesta segunda pela manhã no local.

Estratégias para denúncia

Temer já é alvo de inquérito no STF, derivado de delação premiada do empresário da JBS Joesley Batista, por suspeita de envolvimento nos crimes de corrupção, obstrução à Justiça e organização criminosa.

O presidente se recusou a responder as 82 perguntas enviadas pela Polícia Federal, grande parte delas relacionada ao seu envolvimento com o ex-assessor e ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), preso em 3 de junho, e pediu o arquivamento do processo.

A possível denúncia inclusive já impacta na maneira como o Planalto pretende dar andamento às reformas trabalhista e da Previdência.

Na avaliação de aliados do peemedebista, a prioridade é aprovar logo a reforma trabalhista no Senado por estar encaminhada e com um consenso maior entre parlamentares. Já a previdenciária deve ficar para o segundo semestre para deixar a crise política arrefecer.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos