Marina critica pronunciamento de Temer e diz que saída do presidente é "indispensável"

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação

    5.mai.2017 - Marina Silva em evento da Rede em 2017

    5.mai.2017 - Marina Silva em evento da Rede em 2017

Marina Silva, porta-voz do partido Rede, criticou na noite desta terça-feira (27) o pronunciamento do presidente Michel Temer e disse que a saída dele do cargo é "indispensável". Candidata à presidência nas duas últimas eleições, Marina comentou por meio das redes sociais as afirmações feitas nesta tarde por Temer depois de ele ser alvo de denúncia da Procuradoria-Geral da República. 

O peemedebista declarou nesta terça que não há provas contra ele e atacou a denúncia, formulada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, baseada, segundo o presidente, em "ilações". "Eu digo, meus amigos, minhas amigas, sem medo de errar, que a denúncia é uma ficção", disse.

Marina ironizou a argumentação do presidente de que a denúncia é uma ficção. "Como se seu assessor com a mala de propina não fosse suficiente para atestar o contrário", afirmou. 

Temer critica Joesley Batista e chama denúncia de "ficção"

Em defesa pela saída de Temer, a porta-voz da Rede disse que a falta ao governo do peemedebista credibilidade e legitimidade, o que desencadeou um clima de instabilidade e impossibilitou encontrar soluções para a crise econômica.

"A saída de Temer é indispensável. A instituição da Presidência não pode ser corrompida às custas das conveniências do seu ocupante, servindo como um 'prêmio de impunidade'", afirmou Marina, que apareceu em segundo lugar, empatada com o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), na última pesquisa Datafolha de intenção de votos para a eleição presidencial de 2018.

A ex-ministra também defendeu que mais alto cargo do Poder Executivo deve ser "preservado para não ser desacreditado e manchado por qualquer suspeita que seu ocupante possa ter de envolvimento criminoso".

Marina ainda alfinetou Temer ao compará-lo com a ex-presidente Dilma Rouseff. "O presidente em exercício usa o mesmo expediente de sua antecessora ao dizer que é vítima de perseguição política do Ministério Público ou da operação Lava Jato", pontuou.

"Temer considerou a denúncia da PGR como 'ficção'. Na tentativa de desqualificar o trabalho da PGR, fez uso de ilações graves, a mesma estratégia da qual disse estar sendo vítima. A realidade é que Temer entra para história como o primeiro presidente da República denunciado por corrupção no exercício do mandato", seguiu Marina. "O Brasil e as instituições são muito maiores do que cada um de nós".

Temer diz que denúncia de Janot não tem provas e é baseada em "ilações"

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos