Temer tem dia agitado pré-denúncia: maratona com deputados, almoço com ruralistas e jantares

Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

  • Pedro Ladeira/Folhapress

    1º.ago.2017 - Presidente Michel Temer participa de reunião com ministros, senadores e deputados da Frente Parlamentar da Agropecuária

    1º.ago.2017 - Presidente Michel Temer participa de reunião com ministros, senadores e deputados da Frente Parlamentar da Agropecuária

Na véspera da votação em que os deputados decidirão se permitem ou não que a denúncia contra Michel Temer (PMDB) pelo crime de corrupção passiva siga para o STF (Supremo Tribunal Federal), o presidente teve um dia bastante agitado. Nesta terça-feira (1º), ele se encontrou com diversos deputados, almoçou com ruralistas, reuniu-se com a bancada feminina da base aliada do governo na Câmara e ainda teve sua presença cogitada em três jantares.

Segundo a agenda oficial divulgada pelo Planalto, Temer se encontrou com, no mínimo, 31 deputados federais, além dos que participaram dos encontros nos grupos citados. A assessoria da Presidência não divulgou o número de deputadas presentes na reunião da bancada feminina, por exemplo, mas o grupo conta com pelo menos 30 integrantes. O presidente também recebeu outros políticos, como ministros, e participou de uma solenidade na sede do Executivo.

Michel Temer ainda pode participar de três jantares promovidos pelos parlamentares Danilo Forte (PSB-CE), Fábio Ramalho (PMDB-MG) e Efraim Filho (DEM-PB) nesta noite.

Todos esses deputados serão responsáveis por decidir nesta quarta (2), no plenário da Câmara, se a peça apresentada pela PGR (Procuradoria-Geral da República) deve ser acatada e enviada para o STF. 

A vontade do governo é que a denúncia seja votada de fato nesta quarta, mas a realização do pleito depende da presença de no mínimo 342 deputados no local. Para tanto, nas últimas semanas, ministros próximos de Temer e aliados têm se dedicado a uma força-tarefa para garantir pelo menos a presença da base aliada na Casa. Embora, teoricamente, o Planalto conte com mais de 400 governistas na Câmara, muitos já se declararam a favor da continuidade do processo.

A denúncia contra Temer na Câmara

Corre-corre de compromissos

Segundo a assessoria da Presidência, Michel Temer chegou ao Palácio do Palácio pouco antes das 10h e logo teve uma audiência com o presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), Paulo Rabello de Castro. Depois, ele teve uma reunião com os deputados Aluisio Mendes (Podemos-MA), Aníbal Gomes (PMDB-CE), Fernando Monteiro (PP-PE), Hildo Rocha (PMDB-MA), José Reinaldo (PSB-MA), Junior Marreca (PEN-MA), Juscelino Filho (DEM-MA), Pedro Fernandes (PTB-MA) e Rubens Pereira Junior (PCdoB-MA).

Pela manhã, Temer ainda recebeu os deputados Laudívio Carvalho (SD-MG), Paulinho da Força (SD-SP), Áureo Lídio Moreira (SD-RJ), Silas Câmara (PRB-AM) e Daniel Vilela (PMDB-GO).

Na hora do almoço, o presidente se dirigiu à sede da Frente Parlamentar pela Agropecuária (FPA), que reúne 230 deputados federais, no bairro do Lago Sul, em Brasília. De acordo com a Frente, participaram do encontro 52 deputados e seis senadores. Também esteve presente o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha. Após sair do almoço, ele disse que o governo determinou a volta de 11 dos 12 ministros de Estado que se licenciaram de mandatos parlamentares para assumir as pastas. Padilha também falou que, se a oposição resolver obstruir a sessão, não tem como a votação acontecer.

Antes de voltar ao Planalto, Temer passou na casa do deputado Heráclito Fortes (PSB-PI), na mesma rua onde fica a sede da FPA. O deputado faz aniversário nesta terça e promovia um almoço no local para políticos. À tarde, na sede do Executivo, o peemedebista recebeu o comunicador, cientista político e amigo de longa data de Temer, Gaudêncio Torquato, e participou de uma solenidade para a criação de novos cursos de Medicina. No final da tarde, o presidente recebeu a bancada feminina da base aliada na Câmara. 

Temer ainda se dedicou a conversar pessoalmente com os deputados Paulo Maluf (PP-SP), Jorge Tadeu Mudalen (DEM-SP), Augusto Coutinho (SD-PE), Augusto Coutinho (SD-PE), Átila Lins (PSD-AM), Alfredo Nascimento (PR-AM), Sabino Castelo Branco (PTB-AM), João Campos (PRB-GO), João Campos (PRB-GO), Luís Tibé (PTdoB-MG), Marco Tebaldi (PSDB-SC), Aluisio Mendes (Podemos-MA), Luiz Carlos Ramos (Podemos-RJ), Ademir Camilo (Podemos-MG), Ricardo Teobaldo (Podemos-PE), Jozi Araújo (Podemos-AP), Dr. Sinval Malheiros (Podemos-SP) e Paulo Feijó (PR-RJ). 

Outros que passaram pelo Planalto ao longo do dia foram os ministros da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, e do Esporte, Leonardo Picciani, a senadora Marta Suplicy (PMDB-SP) e o prefeito de Guarulhos, Guti (PSB-SP).

Confiante em votação

Após cerimônia promovida no Planalto, Michel Temer disse estar confiante de que a Câmara dos Deputados rejeitará, em votação no plenário, a denúncia. Ao ser questionado após solenidade no Planalto se estava confiante, Temer respondeu que "sim".

"Quem tem que votar são os que querem destruir aquilo que a CCJ decidiu. A CCJ já decidiu. Não há autorização. Agora é o plenário", acrescentou.

À noite, em vídeo publicado nas redes sociais, Michel Temer elogiou a ação do governo em promover o saque de contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) e sua equipe econômica. Segundo ele, um governante tem de administrar prioridades. O presidente então falou que o dever cumprido lhe dá força para enfrentar "injustiças", sem citar a denúncia contra ele.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos