Fachin dá 5 dias para Janot se manifestar sobre pedido de suspeição feito por Temer

Felipe Amorim e Gustavo Maia

Do UOL, em Brasília

  • Pedro Ladeira/Folhapress

    O procurador-geral da República, Rodrigo Janot

    O procurador-geral da República, Rodrigo Janot

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin deu prazo de cinco dias para que o procurador-geral da República Rodrigo Janot se manifeste sobre o pedido de suspeição feito contra ele pelo presidente Michel Temer (PMDB), nos inquéritos que investigam o presidente no Supremo.

A defesa de Temer apresentou na última terça-feira (8) um pedido de suspeição contra Janot, com o objetivo de impedir que o procurador atue nos processos contra o presidente. Os advogados de Temer afirmam que o procurador "extrapolou" os limites do cargo. 

"Já se tornou público e notório que a atuação do procurador-geral da República, em casos envolvendo o presidente da República, vêm extrapolando em muito os seus limites constitucionais e legais inerentes ao cargo que ocupa", diz o pedido apresentado pela defesa de Temer.

O advogado de Temer, Antônio Cláudio Mariz, pediu que Janot seja impedido de participar de ações contra o presidente e disse que a motivação do procurador-geral é "pessoal".

A peça foi entregue no Supremo seis dias depois de a Câmara rejeitar a denúncia contra Temer apresentada por Janot, que acusou o presidente de cometer o crime de corrupção passiva. Temer só poderá ser investigado por esse crime após o final de seu mandato.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos