Governo barra bandeiras com mastro, placa e cartaz em desfile de 7 de Setembro

Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

  • Marcelo Camargo/Agência Brasil

    6.set.2017 - Esplanada dos Ministérios deve receber milhares de pessoas nesta quinta (7)

    6.set.2017 - Esplanada dos Ministérios deve receber milhares de pessoas nesta quinta (7)

Com a justificativa de tentar garantir a visibilidade na Esplanada dos Ministérios nesta quinta (7) para quem vai acompanhar o desfile da Independência, a Presidência da República junto a ministérios, responsáveis pela organização do evento em Brasília, vão barrar a entrada de pessoas com bandeiras de grande porte e com mastros, placas e cartazes nas arquibancadas.

Em contrapartida, 15 mil bandeirinhas serão distribuídas para o público no local. Essa não é a primeira vez que a proibição acontece no desfile. Ano passado, no primeiro 7 de Setembro da gestão do presidente Michel Temer (PMDB), o mesmo procedimento foi adotado pela segurança.

Também pelo segundo ano consecutivo, Temer deve ir ao desfile em um carro fechado, informou a Presidência. Normalmente, em comemorações da Independência, os chefes do Executivo costumam desfilar em um Rolls Royce, de 1953, conversível da Presidência.

Em 2016, em sua primeira semana como presidente efetivo após o impeachment de Dilma Rousseff (PT), Temer foi vaiado e ouviu palavras de ordem como "Fora, Temer" e "golpista" por parte do público presente.

Segundo a Presidência, são esperadas de 25 mil a 30 mil pessoas na Esplanada nesta quinta. Questionado sobre possíveis manifestações, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Sergio Etchegoyen, afirmou que a data é "de todos nós" e não se deve politizar o 7 de setembro.

É o dia de todos nós. O 7 de setembro para mim, talvez pela minha origem de soldado, é um dia da pátria. É um dia que temos para reverenciar quem construiu o país que nós temos, meditar se estamos caminhando bem, nos esforçar para ser melhor. Politizar isso acho que não faz muito sentido

Sergio Etchegoyen

O evento começa às 9h e tem como tema "Viva sua Independência" para "exaltar a liberdade e as conquistas do povo brasileiro", informou o governo. O desfile contará com apresentação da Esquadrilha da Fumaça, Pirâmide Humana e bandas marciais. 

Marcelo Camargo/Agência Brasil
Desfile terá a participação do presidente Michel Temer

Redução de custos

Diante da crise econômica e a defesa de reformas para conter os gastos públicos, o custo do desfile deste ano em Brasília será o menor desde 2010, primeiro ano do governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

A empresa vencedora da licitação receberá R$ 787,5 mil para montar toda a estrutura, como arquibancadas, segurança e alimentação para o espaço VIP do governo. No ano passado, o custo foi de R$ 1,1 milhão.

Gastos com o desfile:

  • 2010 - R$ 1 milhão
  • 2011 - R$ 900 mil
  • 2012 - R$ 800 mil
  • 2013 - R$ 830 mil
  • 2014 - R$ 1,2 milhão
  • 2015 - R$ 830 mil
  • 2016 - R$ 1,1 milhão
  • 2017 -  R$ 787,5 mil

Fonte: Palácio do Planalto

A reportagem questionou a Presidência sobre a composição do coffee break a ser servido para autoridades e o reforço na segurança no local, mas a assessoria limitou-se a dizer que as especificações constam no edital lançado. O documento foi pedido, no entanto, a solicitação não foi atendida pelo Planalto.

A reportagem também perguntou quantas autoridades foram convidadas, mas a Presidência disse que, mesmo a dois dias do evento, "a lista ainda não estava fechada". Não haverá convidado de honra nesta edição.

Atrações do desfile em Brasília

O desfile cívico-militar começará às 9h quando o presidente Michel Temer passar em revista às tropas em frente ao Palácio do Planalto. Após o ato, ele autorizará o início do evento ao Comando Militar do Planalto.

A partir de então, vários grupos civis, das Forças Armadas e de outras instituições militares vão percorrer o trajeto do Ministério da Justiça até o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, cuja sede é a mais próxima da rodoviária de Brasília. Cerca de 4,2 mil pessoas devem desfilar.

O Hino Nacional vai ser cantado por alunos do programa Segundo Tempo, do governo federal, e a tocha do Fogo Simbólico será conduzida pelo medalhista olímpico de atletismo, Vicente Lenílson, junto a estudantes do Colégio Militar de Brasília.

O evento também vai contar com a Pirâmide Humana do Batalhão de Polícia do Exército de Brasília. Ao todo, 47 militares vão se apresentar em cima de uma única motocicleta. O final ficará a cargo da Esquadrilha da Fumaça, em comemoração especial aos seus 65 anos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos