Após desfile da Independência, Temer almoça com Maia e aliados

Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

  • ABr

Após o desfile da Independência nesta quinta-feira (7) em Brasília, o presidente da República, Michel Temer (PMDB), almoçou com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), na residência oficial da Casa.

A pauta do encontro não foi divulgada pela assessoria da Presidência e o compromisso não constava na agenda oficial de Temer até a última atualização desta reportagem.

Também compareceram à reunião o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e os ministros Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo), Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência), Mendonça Filho (Educação) e Helder Barbalho (Integração Nacional).

O almoço acontece no mesmo dia em que o empresário da JBS, Joesley Batista, e outros executivos da empresa prestam depoimento na PGR (Procuradoria-Geral da República), também na capital federal.

Os executivos devem esclarecer uma gravação que colocou em risco a delação premiada que serviu de base para a denúncia contra Temer, posteriormente barrada pela Câmara. Uma segunda denúncia ainda é aguardada no meio político.

Nos bastidores, o Planalto aposta no enfraquecimento de uma segunda denúncia contra Temer, que seria apresentada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A primeira foi arquivada pela Câmara. O governo Temer tenta agilizar também a votação da Reforma da Previdência no Congresso.

Renato Costa/Folhapress

Sem vaias nem aplausos em desfile

Pela manhã, Temer participou do desfile da Independência ao lado da família e de ministros, entre outras autoridades. Na chegada, o peemedebista não foi vaiado, como aconteceu no ano passado, mas também não foi aplaudido.

Pelo segundo ano consecutivo, Temer foi ao desfile em um carro fechado e sem a faixa presidencial, ao contrário de outros ex-presidentes. Tradicionalmente, os chefes do Executivo costumam desfilar em um Rolls Royce conversível da Presidência, de 1953, nas comemorações da Independência.

O evento contou com apresentações militares e escolares, incluindo um espetáculo da Esquadrilha da Fumaça. Segundo a Polícia Militar do Distrito Federal, 20 mil pessoas compareceram ao desfile -- número pouco menor do que o esperado anteriormente, entre 25 e 30 mil. As arquibancadas, embora cheias, não ficaram lotadas.

Cerca de 200 pessoas do "Grito dos Excluídos" ficaram em frente ao Museu Nacional em um protesto pacifico. A região central da capital ficou relativamente vazia, sem o registro de incidentes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos