Operação Lava Jato

Tribunal amplia para 29 anos pena dada por Moro a ex-deputado do PP

Bernardo Barbosa

Do UOL, em Porto Alegre

  • Paulo Lisboa - 13.abr.15/Brazil Photo Press/Folhapress

A 8ª Turma do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), sediada em Porto Alegre, ampliou por unanimidade a pena do ex-deputado Pedro Corrêa (PP-PE) em processo da Operação Lava Jato para 29 anos e cinco meses de prisão.

O colegiado é o responsável por julgar os casos da Lava Jato em segunda instância. O relator dos processos da operação na turma, desembargador João Pedro Gebran Neto, foi votou para ampliar a pena de Corrêa e foi seguido pelos colegas Leandro Paulsen e Victor Laus.

No processo em questão, Corrêa foi condenado por Moro em 2015 a 20 anos, 7 meses e 15 dias de prisão por ter recebido propina de R$ 11,7 milhões em esquema da Lava Jato. Ele foi punido pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Segundo a acusação do MPF (Ministério Público Federal), além de ter feito mais de 500 operações de lavagem de dinheiro, Corrêa fez articulações para nomear Paulo Roberto Costa para a diretoria de abastecimento da Petrobras --onde operava, conforme delatado pelo próprio Costa, um esquema de corrupção que beneficiava principalmente o PP.

O ex-deputado foi preso preventivamente em abril de 2015 e, em fevereiro de 2017, passou à prisão domiciliar por questões de saúde. Ele teve sua delação premiada homologada em agosto pelo STF, após dois anos de negociação. O acordo está sob sigilo.

No mensalão, Corrêa foi condenado, em 2012, a mais de nove anos de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ele foi condenado por receber, junto a outros parlamentares, R$ 2,9 milhões para votar a favor de matérias do interesse do governo federal durante o primeiro mandato de Lula.

Já na Lava Jato, ele foi condenado a mais de 20 anos de detenção também por corrupção e lavagem. No começo deste ano, ele teve prisão domiciliar temporária concedida para cuidar da saúde. No início de agosto deste ano, ele teve sua delação premiada homologada pelo STF (Supremo Tribunal Federal).

Corrêa: parlamentares do PP não sabiam de reuniões

Veja como ficaram as condenações:

Pedro da Silva Corrêa de Oliveira Andrade Neto: corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A pena passou de 20 anos, 7 meses e 10 dias para 29 anos, 5 meses e 10 dias de reclusão;

Rafael Angulo Lopez: lavagem de dinheiro. Pena mantida em 6 anos e 8 meses de reclusão;

Ivan Vernon Gomes Torres Júnior: lavagem de dinheiro. Pena mantida em 5 anos de reclusão;

Fábio Corrêa de Oliveira Andrade Neto: absolvido;

Márcia Danzi Russo Corrêa de Oliveira: absolvida.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos